A Avell já se consolidou no mercado brasileiro trazendo notebooks de alto desempenho e sempre com ótima qualidade. Nós já testamos diversos modelos da empresa aqui no TecMundo(sem) e agora trazemos mais um modelo.

O G1711 MAX é uma máquina da série GAMER, portanto, ele conta com um hardware de ponta com direito a GPU discreta e um bom número de recursos.

O modelo que testamos possui um processador Intel Core i7 e uma GPU GeForce GTX 860M.

Especificações

Design

Notebooks gamer são conhecidos pelo seu tamanho avantajado: isso acontece porque esse tipo de equipamento precisa acomodar mais componentes que uma máquina mais tradicional. O G1711 consegue apresentar um bom equilíbrio, não sendo tão compacto quanto um Ultrabook, mas também não sendo tão grandalhão como outros modelos gamer disponíveis no mercado, mesmo tendo uma tela de 17,3 polegadas.

O desenho desse notebook segue os traços retos e mais quadrados de outras máquinas gamer da Avell, como o G1511. A tampa superior é coberta por uma chapa plástica que imita o aço escovado, dando um visual elegante à máquina e evitando que marcas de dedos apareçam na superfície.

A parte de trás do notebook possui uma entrada de ar e dois conectores: de força e VGA. Essa foi uma escolha inteligente da Avell, já que essa é uma máquina gamer e posicionar o conector de energia na parte traseira facilita a acomodação do notebook em uma mesa, por exemplo, pelo cabo ficar escondido.

A lateral direita concentra leitor de cartões, duas portas USB 3.0, um conector e-SATA, porta HDMI e conector Ethernet. O lado esquerdo traz a trava Kensington, USB 2.0 e entrada para fones de ouvido e microfone. O drive de DVD também fica posicionado deste lado da carcaça.

A parte da frente não possui nada além dos LEDs de atividade do notebook. Essa parte é bem mais fina que o lado de trás da máquina, o que ajuda a dar um visual mais esguio ao G1711.

Embaixo, nada de muito especial: uma entrada de ar logo acima do cooler do dissipador — que é o mesmo para CPU e GPU — e um dos principais destaques dessa máquina: espaço para um segundo HD físico.

Essa manobra facilita a vida de muita gente. Como os jogos estão cada dia maiores, investir em um segundo disco, apenas para o armazenamento de arquivos, é praticamente essencial. Com isso, também não é preciso sacrificar o drive de DVD com um adaptador.

Teclado completo

O teclado possui o formato que já se tornou padrão em notebooks: chiclete (ou chocolate). Como esse notebook possui tela de 17,3 polegadas, o teclado pode ser mais extenso, incluindo teclas numéricas. Todas elas são macias ao toque e o teclado também não esquenta muito, algo que acontece com outros equipamentos.

O touchpad poderia ser maior, mas funciona muito bem. Ele possui uma superfície áspera que facilita o deslize dos dedos e aceita comandos multitoque. Ao lado do teclado temos algumas teclas de controle: um botão para ligar a câmera, controle de som e modo avião.

Na parte acima do teclado o notebook traz os alto-falantes, e a Avell se orgulha de exibir o selo “Onkyo” ao lado.

No geral, essa máquina possui um visual bastante elegante, com linhas bem definidas e um tamanho que equilibra o peso e as dimensões. O desenho da máquina ainda não é tão caprichado quanto o do Razer Blade Pro, mas é satisfatório.

Tela

A tela do G1711 possui 17,3 polegadas. Para um notebook, é uma tela bem grande. O painel LCD é retroiluminado por LEDs e a textura fosca faz um excelente trabalho em evitar reflexos inconvenientes.

A resolução escolhida é a Full HD, o que garante uma excelente definição de imagens, já que a intensidade de pixels por polegada é bastante alta neste modelo. Com isso, temos uma taxa de contraste razoável e um nível de brilho muito bom.

O painel da tela é normal e possui um ângulo de visão mais limitado que telas IPS, por exemplo. Isso significa que é preciso posicionar-se bem na frente da tela para não perceber distorções nas cores das imagens. Isso não chega a atrapalhar a definição de imagem, mas é possível perceber a diferença.

O tempo de resposta da tela também é bom: em jogos de ação é impossível perceber arrastos nas imagens.

Hardware

Assim como todos os notebooks comercializados pela Avell, essa máquina pode ser personalizada na hora da compra. Deste modo, é possível que o seu G1711 seja um pouco diferente do modelo que testamos.

A nossa máquina possui um processador Intel Core i7 - 4810MQ, rodando a 3,8 GHz quando em plena capacidade. Esse chip possui quatro núcleos físicos e mais quatro virtuais, o que lhe garante um ótimo desempenho. Em termos de memória ele suporta até 32 GB DDR3 em modo dual channel.

A nomenclatura do processador indica os recursos que ele possui. No caso desse, o 4 é a geração e o número 810 o modelo. Já a letra M indica tratar-se de um processador mobile, e o sufixo Q indica que essa CPU é quad core.

Por ser um dos processadores mais potentes da quarta geração Intel, esse modelo possui um consumo energético mais alto que outros (47 W). Isso significa que a bateria vai durar menos, mas também garante mais desempenho na hora da diversão — exatamente o que se espera de uma máquina para jogos.

O chip de vídeo integrado ao processador é o Intel HD Graphics 4600, que não é o modelo mais indicado para jogos, mas apresenta um desempenho excelente em tarefas mais corriqueiras, como navegação na internet.

GeForce GTX 860M e NVIDIA Optimus

Para suprir a necessidade de mais desempenho em jogos, a Avell incluiu um segundo chip gráfico nesse notebook: uma GPU GeForce GTX 860M. Assim como no processador Intel, o sufixo M também denota a versão mobile da NVIDIA.

A GeForce GTX 860M oferece as mesmas ferramentas que as placas top de linha da NVIDIA para desktops. Isso inclui suporte completo ao DirectX 11, CUDA, 3D Vision e, é claro, o PhysX, que foi desenvolvido para melhorar muito o processamento de física e efeitos especiais nos jogos.

Outro recurso interessante oferecido pela NVIDIA é o Optimus, que funciona assim: quando você precisa de mais potência, o notebook passa a utilizar automaticamente a placa de vídeo externa, a GeForce GTX 860M. Quando a utilização da máquina é para tarefas mais simples, o chip gráfico escolhido é o Intel HD.

Essa troca é feita automaticamente e em tempo real, sem que você perceba que o computador passou a utilizar outro chip gráfico.

Além disso, a série 800 chega com outra novidade: o Battery Boost, que otimiza o processador de vídeo para trabalhar com o mínimo de recursos suficientes para entregar qualidade satisfatória. Isso evita que a GPU utilize mais do que o necessário e consuma muita bateria.

A configuração do Battery Boost é baseada na taxa de FPS. Quando o usuário determina um patamar mínimo, o software da NVIDIA regula o chip para garantir que ele mantenha esse nível mínimo de desempenho. Além disso, a nova tecnologia promete controlar também o uso da CPU e da memória.

Sistema de som

A Avell escolheu um bom sistema de som para esse notebook. A começar pelos alto-falantes da marca Onkyo, referência em qualidade para esse tipo de equipamento. Apesar de o tamanho físico deles não permitir “milagres”, o conjunto apresenta uma excelente qualidade com timbres apurados e sons bem definidos, inclusive nos graves. Ou seja, dentro de suas limitações físicas, eles são muito bons.

O chip de som é simples, mas os efeitos de som são processados pelo sistema Sound Blaster Cinema através do SBX Pro Studio, o que garante à máquina uma ótima experiência sonora, seja em games ou filmes.

O resultado disso tudo é que o G1711 apresenta um sistema de som bastante preciso — principalmente com fones de ouvido de boa qualidade.

Testes de desempenho

Para conhecer a força dessa máquina é preciso executar uma série de testes. Somente deste modo é possível ter certeza de qual é a sua real capacidade. Para fazer isso, nós configuramos a máquina da seguinte maneira: primeiramente, conectamos o computador ao carregador e nos certificamos de alterar o plano de consumo de energia para “alto desempenho”, para garantir que ela possa trabalhar a todo vapor. As configurações de vídeo do painel de controle da NVIDIA são ajustadas de forma padrão, sendo que a única alteração é a desativação do Vsync.

Jogos

Executamos o teste de jogos da seguinte maneira: primeiro, configuramos os jogos para rodar com o máximo de qualidade possível na resolução nativa do notebook. Neste caso, Full HD (1980x1080). Em seguida, rodamos os jogos diversas vezes antes de registrar a taxa de quadros por segundo através do software Fraps. O segundo teste é feito com alguns ajustes nos gráficos. Alteramos para o nível médio de qualidade e refazemos todos os testes.

Detalhe máximo

Detalhe médio

Valley e Heaven Benchmark

Tanto o Valley quanto o Heaven benchmark utilizam o motor gráfico Unigine para testar os limites do hardware. As duas ferramentas utilizam o que há de mais moderno em termos de tecnologia gráfica, incluindo objetos complexos, efeitos de luz, sombra, partículas e Tessellation.

3DMark

O 3DMark é uma das ferramentas de benchmark mais importantes do mundo. Essa versão possui três tipos de checagens diferentes, sendo que cada uma delas realiza uma bateria de testes distinta, indo desde os mais simples até complexas animações que utilizam os últimos recursos gráficos disponíveis no mercado.

Testes com o monitor

Contraste

Nós testamos o contraste com uma escala de cores. O ideal é que os retângulos mais à esquerda (mais escuros) continuem visíveis e os da direita não se “misturem” uns com os outros no final. A possibilidade de se diferenciar (ou não) com facilidade todos os elementos na escala de cores mostra a qualidade do monitor.

Tempo de resposta

O tempo de resposta de um monitor é um dos efeitos que mais chama atenção, principalmente em jogos de ação, que trazem uma movimentação muito rápida na tela. Trata-se do tempo que o monitor precisa para trocar de uma imagem para outra. Se esse tempo for muito grande, a transição entre os quadros apresenta “fantasmas”, ou seja, parece se arrastar e não é fluente como deveria.

Ângulo de visão

Para garantir uma boa qualidade de imagem, é preciso que a tela tenha um ângulo de visão relativamente grande. Caso contrário, um pequeno desvio para o lado pode impedir que as imagens sejam vistas com uma boa definição.

Teste de bateria

Para realizar o teste de bateria, nós utilizamos o software Powermark, também desenvolvido pela Futuremark. O software possui três configurações diferentes de uso, e cada uma simula um cenário distinto.

  • Balanced: simula a execução de tarefas corriqueiras, como edição de vídeo, navegação na internet e exibição de vídeos e jogos;
  • Productivity: testes mais simples simulando produção de textos, planilhas e navegação na internet;
  • Entertainment: esse é o modo de testes mais pesado, pois simula a exibição de vídeos em alta definição e jogos pesados.

Para realizar os testes, configuramos o notebook no modo de energia “equilibrado” e o deixamos fora da tomada depois de uma carga completa. Nenhum programa está aberto em segundo plano e a rede WiFi está conectada, mas não está transmitindo dados.

Como essa máquina é destinada aos jogos e entretenimento, executamos o teste “Entertainment”, que realiza diversos testes diferentes na máquina, como a simulação de jogos em 3D e vídeos em alta definição.

O resultado foi de 2 horas e 52 minutos de duração da bateria.

Esse resultado é muito bom para um notebook desse tipo, mostrando que as novas arquiteturas da Intel e da NVIDIA são mesmo eficientes e garantem mais rendimento das baterias. E isso sem comprometer completamente o desempenho.

É preciso estar ciente de que testes com bateria devem ser considerados apenas como uma base, já que cada equipamento pode trabalhar de forma distinta e realizar tarefas que consomem menos ou mais energia.

Vale a pena?

O avanço da tecnologia está trazendo para o mercado um grande número de notebooks dedicados especialmente para jogos. Felizmente o hardware tem evoluído de maneira satisfatória, permitindo que máquinas cada vez mais poderosas sejam lançadas. É claro que o poder de um notebook para jogos ainda não se compara ao de um desktop, mas eles já chegam bem perto disso.

E essa máquina da Avell é um exemplo. O notebook é capaz de apresentar resultados bastante satisfatórios em praticamente todos os jogos que testamos. Títulos de última geração devem rodar sem muitos problemas nessa máquina, precisando de pequenos ajustes nos detalhes para que seja possível equilibrar visual e desempenho.

Outro ponto interessante é que essa máquina apresenta um design elegante, sem parecer grandalhão como outros notebooks gamer, além de não ser tão pesada e possuir espaço físico para dois HDs. Não é o melhor visual já visto em uma máquina dessas, mas, no geral, agrada.

Em questão de preço, o G1711 custa menos que notebooks desse nível de marcas mais conhecidas, e essa é uma de suas vantagens. Como a Avell permite a personalização dos equipamentos na hora da compra, o preço de venda desse modelo começa em R$ 3.780, mas pode aumentar se você optar por substituir alguns componentes. Um preço que está na medida para a qualidade do equipamento. Além disso, a Avell oferece três anos de garantia, e isso, sem dúvidas, deve ser considerado na hora da compra. 

Cupons de desconto TecMundo: