A banda larga residencial chegou com tudo e já está presente nas casas de milhões de brasileiros. Tendo seu advento no começo dos anos 2000 e se consagrando antes mesmo do final da primeira década, a banda larga tende a crescer cada vez mais, tanto que já se espalha para dispositivos diferentes do PC, como celulares, PDAs, Notebooks, Netbooks e outros.

Com tantas opções de aparelhos e uma dúzia de operadoras disputando a preferência do consumidor, a confusão é inevitável, já que cada serviço dá um nome diferente para o mesmo produto e impõe diferentes regras, que o usuário deverá aceitar se quiser contratá-la. O principal, e talvez mais importante, detalhe que deve ser levado em conta antes de contratar um serviço de banda larga, seja ele residencial ou móvel, comum ou 3G, é a franquia de dados — que também recebe nomes diferentes em cada operadora.

O que é?

Franquia de dados é similar aos tipos de franquia que sempre foram cobrados, desde a existência do sistema de telefonia. Ela consiste em uma taxa periódica, cobrada de acordo com o plano escolhido pelo cliente, e dá direito a um número determinado de dados a serem transferidos mensalmente. O exemplo abaixo contém três dos itens que sempre estão presentes em todas as tabelas de todas as operadoras (que inclusive são os itens mais importantes a serem considerados):

Velocidade: 3 Mega (Mbps – megabits por segundo)

Franquia de dados: 15 GB

Tarifa adicional à franquia: R$0,15/MB

O fato de constar “15 GB” no item “franquia de dados” significa que, mensalmente, você terá direito a fazer o download de 15 GB de dados, independente do tipo. Ou seja, não importa se você vai ouvir rádios online, assistir a vídeos do YouTube, baixar músicas e filmes, etc. No caso exemplificado acima, se por acaso você baixar mais do que 15 GB de dados, será cobrada uma taxa de 15 centavos por megabyte que ultrapassar a franquia contratada.

Conecte-se

*Dependendo da operadora escolhida, ao invés de uma taxa adicional cobrada sobre o excedente da franquia, poderá ser reduzida a velocidade da conexão, sem qualquer ônus adicional ao consumidor, voltando à velocidade normal no primeiro dia do mês seguinte. Verifique atentamente as regras de cada operadora.

*Para calcular a franquia, só é considerado o volume de dados que você baixa. Os envios de dados do seu computador ou dispositivo móvel não são contados.

*Algumas operadoras não cobram qualquer tipo de franquia, isto é, permitem que você faça downloads à vontade, independente do plano escolhido.

Não se engane

Conecte-se

Para alguns usuários, é difícil contratar o primeiro serviço de banda larga pois, ao se depararem com o termo “franquia de dados”, ficam indecisos por ainda não saberem ao certo o volume de dados que utilizarão. Nesse caso, a única maneira de descobrir é na tentativa e erro. De qualquer forma, verifique se a operadora tem algum tipo de restrição para mudança de plano, ou mesmo alguma vantagem. Assim, se você perceber que possui uma franquia muito alta em relação ao consumo, ou vice-versa (consumo mais alto do que a franquia), não haverá problema na hora de mudar de plano.

A realidade

O mercado de telefonia ainda carece de muita legislação. Portanto, antes de contratar qualquer plano de banda larga, seja para sua casa, seja para o seu celular ou outro dispositivo móvel, pesquise bastante e verifique qual operadora possui o plano que melhor se adapta às suas necessidades, além das vantagens oferecidas. Mas a dica principal é: fique atento às “pegadinhas”, pois elas podem fazer com que um serviço que deveria tornar sua vida mais fácil acabe causando mais dor de cabeça do que qualquer outra coisa.