A Audi, durante sua participação no salão do automóvel de Pequim, focou em mostrar modelos novos, como o Audi TT RS e o A4 L, além de repensar alguns de seus veículos e apresentá-los sob novas perspectivas, como foi o caso do conceito "Connected Mobility" (Mobilidade Conectada).

Baseado no novo Q3, o Connected Mobility foi pensado para os ambientes urbanos das grandes metrópoles, que sofrem com um trânsito cada vez mais complicados. Por isso, o carro traz, embutido no para-choque traseiro, um longboard, feito de alumínio e fibra de carbono, que também pode ser usado como um patinete ou ainda como um carrinho para carregar suas coisas de forma autônoma, controlado por um smartphone ou smartwatch através de um aplicativo da Audi e também por um controle remoto.

O único problema é o duplo prejuízo se alguém bater na sua traseira

Mais do que simplesmente oferecer um acessório diferente, o veículo conta com um sistema de infotainment que informa ao condutor qual é a forma mais eficiente de locomoção, com base em dados de tráfego em tempo real. Se o sistema identificar que o método alternativo é mais rápido para chegar ao destino desejado, ele vai sugerir que o motorista estacione o carro e utilize o longboard elétrico.

O equipamento é carregado enquanto fica no para-choque traseiro do Q3 e tem uma autonomia de mais de 12 quilômetros, com uma velocidade máxima estimada em 30 km/h.

Deixa o carro de lado, pega o patinete e parte pro rolê: vai ser mais rápido

A nova Q3, sem o longboard elétrico, vai ser lançada na China em breve. O conceito Connected Mobility, no entanto, não está previsto para ser produzido tão cedo. Pelo menos o longboard poderia ser feito e vendido à parte, né?

O que você achou do conceito de mobilidade conectada da Audi? Comente no Fórum do TecMundo

Cupons de desconto TecMundo: