Nenhum sistema de segurança é à prova de ataque de hackers mal intencionados – nem mesmo aqueles presentes na Casa Branca. A residência oficial do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, foi alvo de uma atividade cibernética suspeita que forçou os administradores locais a desconectar alguns equipamento da rede para evitar maiores problemas.

Um funcionário que trabalha no local decidiu falar para o G1, sob a condição de anonimato, sobre o episódio que envolveu a Casa Branca: “Durante a avaliação de ameaças recentes, identificamos uma atividade preocupante na rede EOP, que administra documentos não confidenciais”. Vale lembrar que alertas possíveis ameaças cibernéticas bombardeiam a residência presidencial todos os dias.

Como medida imediata para avaliar e minimizar a ameaça, os técnicos do local realizaram cortes temporários na rede e providenciaram a suspensão da conexão para algumas pessoas (provavelmente aquelas que possuíam privilégios elevados dentro da rede). “Os cortes temporários e a perda de conectividade para nossos usuários são apenas o resultado das medidas que tomamos para defender nossas redes”, disse a fonte ao G1, que não revelou o tipo de atividade suspeita que foi detectada.

Apesar de ainda desconhecida a fonte da suposta tentativa de acesso não autorizado, já há algumas suspeitas para o ocorrido. De acordo com o jornal The Washington Post, a ameaça pode ter sido causada por hackers russos que trabalham para o governo da Rússia. Ataques registrados há algumas semanas, ainda segundo o site, também foram realizados por indivíduos daquele país, o que reforça a tese defendida pelo jornal.

--

Apesar disso, o impasse ainda não foi completamente resolvido e, nas próximas horas, pode ser que mais informações sejam veiculadas por veículos de notícias internacionais. Estaremos de olho e manteremos os leitores informados e atualizados sobre todos os detalhes do ocorrido.

Cupons de desconto TecMundo: