AmpliarMapa mostra áreas atacadas e os tipos de dados roubados (Fonte da imagem: Reprodução/Kaspersky)

O Kaspersky Lab acaba de revelar um novo ataque hacker de escala global que roubou dados de 350 alvos de grande importância em 40 países diferentes. Segundo o relatório lançado pela empresa, o grupo esteve em ação desde 2004 e obteve mais de 22 gigabytes de informação com a ajuda de seu malware, o NetTraveler.

Entre os dados roubados estão documentos confidenciais sobre a exploração espacial, nanotecnologia, produção de energia e medicina. Registros de comunicações entre instituições governamentais, embaixadas, centros de pesquisa e empresas militares também foram vítimas.

Mas, se você achava que o método usado em um ataque como esses foi um tipo sofisticado de malware, é melhor pensar de novo. O grupo utilizou a boa e velha tática do spear fishing – aqueles emails que possuem arquivos maliciosos anexados e disfarçados de documentos de texto e tabelas de Excel, entre outros.

A culpa é dos chineses?

Ao que tudo indica, os autores dos ataques seriam um grupo de hackers chineses, devido ao horário em que eles entravam em ação. “Pode-se dizer que o NetTraveler está trabalhando com precisão militar das 8 às 6 no fuso horário de Pequim”, twittou um dos pesquisadores da Kaspersky.

Em uma tentativa de diminuir os estragos causados, a empresa pretende notificar as vítimas dos ataques para que elas possam tomar as ações devidas. Mesmo assim, espera-se que os hackers e seu NetTraveler continuem em ação.

Cupons de desconto TecMundo: