Ampliar (Fonte da imagem: Reprodução/AP Photo/University of New Mexico, Carl Agee)

O meteorito acima foi descoberto no Deserto do Saara e tem sido investigado desde o ano passado. As pesquisas têm apresentado resultados surpreendentes sobre a composição da rocha, mostrando, por exemplo, que ela contém mais água e mais idade do que outros pedaços do Planeta Vermelho encontrados na Terra.

E esse não é o único meteorito vindo de Marte a ser encontrado naquele deserto. Também não é o mais antigo, visto que já foram coletadas rochas daquele planeta com estimativa de terem até 4,5 bilhões de anos. Mesmo assim, esse exemplar batizado de NWA 7034 possui sua importância na história da astronomia, visto que a maior parte dos meteoritos encontrados no Saara são relativamente mais novos, sempre com idade abaixo dos 600 milhões de anos.

Também conhecido como “Beleza Negra” (Black Beauty), essa rocha foi comprada no Marrocos e, posteriormente, doada para a Universidade do Novo México, nos Estados Unidos. A origem do meteorito foi identificada por meio de análises químicas, que também comprovaram que a rocha foi formada por meio de uma erupção vulcânica.

Além disso, quando aquecida, a rocha libera uma quantidade muito pequena — mas ainda assim significante — de água, ultrapassando em muito o total do líquido encontrado em qualquer outro meteorito vindo do Planeta Vermelho. Para tornar tudo ainda melhor, a pedra foi bem conservada no solo terrestre e está relativamente livre de contaminações.

A rocha será usada como forma de descobrir como eram as condições na superfície de Marte durante o período em que o clima do planeta mudou de quente e úmido para frio e seco.

Cupons de desconto TecMundo: