Cinturão de asteroides preserva água e favorece vida em outros planetas (Fonte da imagem: NASA)

Apesar de serem retratados como grandes vilões em filmes como “Impacto Profundo” e “Armagedom”, os asteroides também parecem ser essenciais para a formação de vida em qualquer planeta, já que eles fornecem água e compostos orgânicos a esses mundos, além de ditarem certas normas de desenvolvimento de espécies por meio dos impactos que costumam causar.

Agora, pesquisadores da Universidade do Colorado, nos Estados Unidos, argumentam que não são necessárias apenas as quedas de aerólitos, mas também a presença de um cinturão de asteroides com determinadas características. Isso, porém, tornaria a possibilidade de vida alienígena e complexa muito mais difícil de ser encontrada.

No caso do nosso Sistema Solar, por exemplo, o cinturão de asteroides que fica entre Marte e Júpiter possui as condições ideais para a conservação de água congelada, enquanto a gravidade de Júpiter ajuda a manter os asteroides separados, e não aglomerados em forma de planeta.

Entretanto, são poucos os sistemas planetários que se enquadrariam nas mesmas características do nosso. De acordo com a notícia publicada pela NASA, dos 520 planetas estudados pelos pesquisadores, apenas 19 possuem essas condições favoráveis à vida e, com base nesses dados, é possível estimar que apenas 4% do nosso universo observável possuiria um cinturão de asteroides como o nosso.