Imagem de: Aston Martin vai produzir um carro 100% elétrico, o RapidE

Aston Martin vai produzir um carro 100% elétrico, o RapidE

1 min de leitura
Avatar do autor

A semana foi movimentada para a Aston Martin: eles começaram anunciando a produção do sedã RapidE, seu primeiro modelo totalmente elétrico e que deve começar a ser fabricado em 2019 como um veículo de produção que seria feito em parceria com a LeEco.

Dias depois, no entanto, a chinesa anunciou que estava saindo do projeto, o que forçou a montadora britânica a rever seus planos e decidir que o RapidE será, na verdade, uma edição limitada, com apenas 155 unidades disponibilizadas, o que dá cerca de um terço da quantidade planejada inicialmente.

Por outro lado, o time de engenharia da equipe Williams de Fórmula 1 vai ter uma contribuição pesada no projeto. A ideia da montadora britânica é que o veículo seja uma alternativa para as pessoas que tem dinheiro, mas que querem algo melhor do que um Tesla Model S – que custa US$ 130 mil.

O problema é que, fazendo o RapidE virar uma edição limitada, isso significa subir a cifra cobrada pelo carro quando ele de fato chegar às lojas: o valor do carro pode chegar a US$ 250 mil, quase o dobro do que é cobrado pelo sedã da empresa de Elon Musk e substancialmente mais caro que o Rapide equipado com um motor V12 5.9 de 470 cavalos.

Isso deixa claro um grande desafio que montadoras de carros mais exclusivos, como é o caso da Aston, tem pela frente com a crescente demanda do mercado e dos reguladores por veículos elétricos – algo que os grandes conglomerados automotivos estão conseguindo lidar sem grandes problemas.

Sobre o carro

O RapidE (com ênfase no E maiúsculo, para reforçar o caráter elétrico do veículo) é baseado na mesma plataforma do já existente Rapide (sem o E maiúsculo) e foi apresentado pela Aston Martin como uma variante elétrica do sedan, com algumas mudanças substanciais na parte de rodas e alguns elementos de design – além, é claro, de abandonar o motor V12 do carro que lhe deu origem e usar um propulsor elétrico no lugar.

Tanto a Aston Martin quanto a Williams Advanced Engineering, as duas responsáveis pelo veículo, estão guardando segredo quanto às possíveis especificações do carro.

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Veja também
Aston Martin vai produzir um carro 100% elétrico, o RapidE