No Área 42 desta semana, nós vamos ensinar três truques bacanas para você melhorar a qualidade das suas fotos e filmagens com câmeras digitais.

Vamos aprender como criar um difusor para a luz do flash e também vamos adaptar uma câmera digital em um binóculo, para fotografar com qualidade lugares mais distantes. Para finalizar, um guia prático para a construção de um estabilizador que permite a realização de filmagens em movimento com mais qualidade.

Criando um difusor

O difusor tem como objetivo principal distribuir melhor a iluminação, seja ela proveniente do flash ou da luz ambiente. Essa melhor distribuição da luz faz com que a foto não fique sobrecarregada de brilho em apenas alguns pontos, ao mesmo tempo em que fica escura em outros locais. A seguir, você verá como criar dois modelos simples e baratos.

Temos duas câmeras disponíveis: uma com o flash estilo “popup”, que fica exposto na parte de cima, e uma comum, que possui o flash embutido em cima da lente. Para a primeira, faremos o difusor com um pequeno pote de plástico transparente e fosco. O escolhido foi um potinho de Kinder Ovo, por ser do tamanho quase exato ao que precisamos.

(Fonte da imagem: Tecmundo)

O procedimento é muito simples: basta cortar a lateral do plástico com um estilete e encaixar cuidadosamente no suporte do flash. Simples, não?

A segunda câmera possui um flash embutido, logo, não é possível encaixar um difusor como fizemos anteriormente. Para esse modelo, vamos utilizar um filtro de café, feito de papel branco. O procedimento também é muito simples: é só cortar um pequeno quadrado de papel e posicioná-lo sobre o flash. Para prender, um pedaço de fita crepe na lateral. Tome muito cuidado para não colar a fita em cima da lente e nem na tela de LCD, que fica na parte traseira.

(Fonte da imagem: Tecmundo)

Adaptando um binóculo na câmera digital

Se você tem vontade de fotografar objetos distantes — ou até mesmo a Lua e as estrelas — com mais detalhes, esta dica é para você. Tudo o que você precisa é uma câmera digital, um binóculo, um pouco de fita crepe e um rolo de papelão (pode ser aqueles de papel-toalha).

Primeiro, encaixamos o tubo de papelão na lente. Ele deverá ficar bem justo, caso contrário não vai funcionar. É preciso ter muito cuidado ao trabalhar com equipamentos que tenham a lente retrátil: se você desligar o equipamento e ela tentar se recolher, o motor poderá se danificar.

(Fonte da imagem: Tecmundo)

Feito isso, medimos a distância da lente até o topo do tubo de papelão e cortamos, deixando bem apertado. Para dar um acabamento, fita crepe e muito cuidado para não danificar o dispositivo.

O passo seguinte é adaptar tudo ao binóculo. Se você construiu o apoio corretamente, a câmera deverá ficar bem presa. No nosso caso tudo ficou bem adaptado, pois o tamanho da lente da câmera era próximo ao tamanho do binóculo.

(Fonte da imagem: Tecmundo)

Um pouco mais de fita crepe para segurar o adaptador e pronto, agora é só fotografar o que você quiser. Experimentamos tirar algumas fotos pela janela do escritório. A nitidez das imagens ficou impressionante, e mesmo objetos distantes puderam ser observados com muita facilidade.

Se você quiser ir um pouco mais longe, saiba que teve gente que fez essa adaptação com um telescópio e tirou fotos da Lua e até de planetas. Legal, né?

(Fonte da imagem: Tecmundo)

Construindo um estabilizador para câmera digital

A construção de um estabilizador é relativamente simples, desde que você tenha todos os componentes necessários para a montagem. O que você vai precisar é um cano de PVC de aproximadamente 40 centímetros, uma junção em L e um cap para fechar o tubo embaixo. Todos podem ser adquiridos em lojas de materiais hidráulicos por preços razoavelmente baixos.

Para prender a câmera, utilizamos um parafuso e uma porca. Uma manopla de bicicleta serve para manusear o estabilizador de maneira mais confortável enquanto a filmagem é realizada.

(Fonte da imagem: Tecmundo)

Uma furadeira pode ser utilizada para furar a junção em L, bem na dobra. Ali é onde ficará o parafuso de suporte. O cano de PVC é adaptado na parte de baixo, com uma emenda improvisada. A manopla de bicicleta fica na outra ponta.

Terminada a montagem, vamos colocar o contrapeso embaixo – é ele que vai manter o equilíbrio do aparelho durante a filmagem. Para isso, utilizamos alguns parafusos na base do equipamento, mas você pode colocar pedrinhas ou até mesmo areia. Como cada câmera tem um peso diferente, você deverá manter a proporção.

Caso você ache necessário, até mesmo uma anilha de musculação pode ser adaptada na base facilmente. O peso não precisa ser exagerado, mas tem que ser suficiente para manter o equipamento sempre estável.

(Fonte da imagem: Tecmundo)

Os testes demonstram que a qualidade do filme melhorou muito, já que a câmera não balança mais enquanto estamos em movimento. Esse é apenas um exemplo de montagem. Com um pouco de criatividade, trabalho e os materiais adequados, você pode criar estabilizadores muito bons.

Cupons de desconto TecMundo: