Você sabe o que acontece quando a ventoinha do processador para de funcionar? E se por acaso você ligar um computador sem o dissipador de calor no processador? É isso que vamos descobrir agora. Nós executamos diferentes testes, com variadas configurações. Ao todo, foram duas placas-mãe e cinco modelos de processadores testados.

Processador é a unidade central de processamento do computador, é como se fosse o cérebro da máquina. Tudo o que acontece na máquina depende dele para funcionar. Como um processador é construído com milhões de transístores, ele pode atingir temperaturas muito elevadas rapidamente.

Montando o computador de testes

O primeiro passo é pegar a placa-mãe cuidadosamente e adicionar os suportes plásticos. O computador de teste ficará montado sobre uma mesa, portanto, é necessário adicionar os suportes para que a placa não entre em contato direto com a superfície.

O próximo passo é instalar o processador. É só levantar a trava do soquete, ver o lado correto e cuidadosamente encaixar os pinos. Nessa parte, é preciso prestar muita atenção para não entortar nenhum pino da base, pois isso poderia danificar o componente. Depois de encaixado, basta fechar a trava para que ele fique firme no lugar. O dissipador deve ser preso também com cuidado. Força demais na hora de fixar a trava pode danificar o núcleo do processador, que nesse modelo, fica completamente exposto.

Depois do processador, instalamos a memória. O soquete é bastante delicado e é preciso ter cuidado para não danificar o encaixe na hora de espetar o pente no lugar. Se algum deles ficar torto e você ligar o computador assim, poderá danificar seu equipamento irreversivelmente. Para encaixar é só apertar com firmeza que as travas devem prender tudo no lugar.

A placa de vídeo segue o mesmo procedimento. Basta encaixar com cuidado e prender bem a trava de segurança, certificando-se que ela ficou posicionada corretamente. O próximo passo é colocar os cabos. Primeiro, o cabo IDE que é ligado na placa-mãe e no drive de CD. Depois, os cabos de força que saem da fonte e devem fornecer energia suficiente para o computador ligar.

Teste de resistência

Para executar os testes de estabilidade, utilizamos o Prime95, um conhecido programa para testes de resistência e estabilidade do computador. Ele força o sistema até os seus limites em busca de falhas que possam comprometer o funcionamento do equipamento. O sistema operacional da máquina é o Windows XP, rodando direto do CD para assegurar a eficiência dos testes.

Para medir a temperatura com precisão e segurança utilizamos esse medidor a laser, que pode ser usado à distância e registra qualquer variação imediatamente.

O teste escolhido dentro do Prime95 foi o “in-place large FFTs” que proporciona o máximo de estresse possível no processador.  Como pode ser visto na imagem, logo ele atinge o nível de 100% de utilização. A temperatura também começa a subir, chega à faixa de 33 graus e permanece relativamente estável, como pode ser visto na imagem.

Como a temperatura atingiu um nível de estabilidade mesmo com o processador sofrendo com o Prime95, vamos passar para o próximo passo, que é desativar a ventoinha. Atenção: nunca faça isso com o seu computador. Você poderá causar danos irreparáveis ao equipamento.

A função do dissipador é absorver o calor do núcleo do processador. O formato dele é assim para ajudar a distribuir o calor de forma uniforme entre as aletas de alumínio. A ventoinha tem o papel fundamental de resfriar o dissipador com ar frio para que ele possa continuar absorvendo as altas temperaturas: se ela não estiver presente, ou funcionando, o calor não irá se dissipar e a temperatura irá subir sem parar.

Acompanhando a medição da temperatura na base do dissipador, podemos ver que ela sobe rapidamente. Em menos de um minuto, ela já aumentou 20 graus — apenas por termos desligado a ventoinha. Em pouco tempo, a temperatura já atingiu 80 graus na base do dissipador.

Atenção: o que vamos fazer agora é muito perigoso e não deve ser executado sem a supervisão de um profissional.

Para fins experimentais, vamos testar o que acontece se removermos o dissipador com o computador ligado e os testes de resistência ainda forçando o processador ao seu máximo.

Em poucos segundos, a temperatura do processador pula para 140 graus e a máquina trava. Isso é um importante mecanismo de defesa que os processadores possuem, evitando que um acidente — provocado — como esse queime o componente e possa até mesmo incendiar as peças do computador.

Substituímos o processador e a placa-mãe para executar o mesmo teste e verificar o resultado: novamente pudemos observar que a máquina travou ao atingir a faixa de 140 graus de temperatura. O próximo teste é tentar ligar a máquina sem o dissipador de calor e a ventoinha. Em poucos segundos, podemos verificar que a temperatura pula de cerca de 20 graus para quase 180.

Novamente alertamos: não tente fazer isso em casa, ou poderá não só danificar o seu equipamento permanentemente como causar até mesmo graves acidentes. Nós somos profissionais treinados e contamos com todos os equipamentos de segurança.

Como pudemos observar, todos os processadores mais novos possuem um bom mecanismo de segurança que desativa o sistema assim que uma temperatura muito alta é atingida, preservando a integridade do computador e seus componentes.

Fogo! Fogo! Fogo!

Mas e nos equipamentos um pouco mais antigos, sem esse sistema de segurança? Nós testamos um modelo de processador fabricado antes da instalação desse mecanismo, e conseguimos resultados impressionantes. Em poucos segundos, o processador pegou fogo.

A temperatura subiu rapidamente como nos anteriores, mas como o processador não desligou sozinho por não possuir um sistema de segurança, ele chegou a quase 300 graus em seu núcleo. Os componentes próximos chegaram a derreter e uma forte fumaça preencheu a sala de testes.

Em poucos segundos, o processador teve seu núcleo derretido, comprometendo a funcionalidade dele e da placa-mãe, já que os quase 300 graus foram quentes demais para o sistema.

Os novos modelos de processadores carregam um mecanismo de segurança muito mais eficiente que esses modelos testados. Enquanto alguns apenas desligavam, os mais novos diminuem a frequencia de funcionamento em busca de uma temperatura mais segura. Preste atenção no funcionamento do seu sistema, verifique sempre as temperaturas e evite acidentes, mantendo sempre o computador em um local arejado e limpo. Se você perceber que o ele está um pouco mais lento que o normal, pode ser um indício de superaquecimento.

Veja este tutorial de como adicionar mais ventoinhas no gabinete, e garanta um bom funcionamento do seu sistema.

Gostou da experiência?  Não deixe de ver o vídeo — lá no topo do artigo — que mostra todo o processo executado e até a próxima.

Cupons de desconto TecMundo: