Nas últimas semanas, a Apple ficou em evidência não por sua excelência, como de costume, mas sim pelo “defeitinho” que fazia com que a conexão do iPhone 4 não fosse a das melhores. Eis que Steve Jobs resolveu falar sobre o assunto na conferência do último dia 16.

O “Por dentro da maçã” desta semana vai tratar desse assunto e trazer outras notícias sobre o iPad, com informações sobre o lançamento em outros países e a nova geração desses dispositivos, atualização do iTunes, teste de Bluetooth e muito mais. Confira!

Respostas ao 16 de julho

No último episódio da “saga” do iPhone 4 da semana passada (com direito a deletar mensagens de fóruns, declarações polêmicas e muito mais), quando o caldo parecia entornar para a Apple, Steve Jobs concedeu a conferência para comentar sobre o problema da antena.

Antes de tudo, vale a pena assistir ao vídeo que abriu a conferência (em inglês) para ter uma ideia do tom que ali seria apresentado (o vídeo foi criado e postado no YouTube por Jonathan Mann – um vlogueiro conhecido da internet – antes da conferência):

De acordo com Jobs, o produto não é perfeito e, assim como os concorrentes, as barras indicativas de sinal caem em smartphones (citando empresas como Samsung e HTC). Mesmo assim, a Apple  já vendeu 3 milhões de unidades do produto desde seu lançamento.

Para justificar o lançamento, Jobs comenta que o teste do iPhone 4 foi feito por 18 cientistas e apenas 0,55% dos compradores reclamaram do novo aparelho. Inclusive, a taxa de devolução do aparelho ficou bem menor do que do iPhone 3GS, de acordo com a AT&T (1,7% para o iPhone 4 contra 6% para o 3GS) .

Direito de resposta

As respostas à conferência de Steve Jobs foram rápidas. As ações subiram de US$ 248 para US$ 254 logo após a coletiva, de acordo com Philip Elmer-DeWitt, da revista Fortune. Já a resposta das empresas citadas na conferência não foram tão receptivas assim.

A Nokia comenta que a empresa prioriza o desempenho ao design quando necessário e que a antena interna está localizada nas partes superiores e inferiores dos aparelhos, para evitar problemas.

Testes feitos no Nokia N97 mini.

Fonte: Apple

Já a Samsung, mencionada por Jobs, afirmou em comunicado que não recebeu reações adversas em relação à redução de sinal no Omnia II, citado na conferência. As respostas foram unânimes no sentido de que apenas a antena do iPhone apresenta falhas. No entanto, os vídeos e testes disponibilizados pela Apple insistem em provar o contrário.

Teste de produtos

A conferência da sexta-feira passada também serviu para acabar com as dúvidas em relação ao teste de produtos. A Apple divulgou ali imagens de suas câmaras anecoicas e convidou alguns repórteres para conhecer as chamadas Black labs, revelando-as pela primeira vez.

Laboratório de teste milionário é usado para testes de antena na Apple.

Fonte: Apple

Entre as câmaras conhecidas pelos repórteres, uma com formato em bico e outra denominada Stargate são usadas para testes com e sem interferência de equipamentos. Estima-se que a câmara em formato de bico, por exemplo, tenha custado a bagatela de 1,2 milhões de dólares.

Além das câmaras, a Apple também faz testes utilizando imitações de partes do corpo humano sintéticas, como mãos e cabeça. Para testar o desempenho de celulares e afins, uma van recheada de mãos segurando iPhones passeia pela cidade, conferindo como eles se saem em diversos locais.

Capinhas para salvar a pátria

Caso o usuário tenha problemas com o produto, a Apple vai liberar as capas protetoras (conhecidos por bumpers ou Antennagate), que prometem resolver o problema, para aparelhos comprados até o dia 30 de setembro. Seguindo a política da empresa, quem não estiver satisfeito com o smartphone pode devolvê-lo e ser reembolsado.

A solução de Jobs para as falhas de sinal do iPhone.

Divulgação/Apple

Aliás, a Apple desde ontem está reembolsando os usuários que compraram os Bumpers individualmente. Para quem ainda não adquiriu, a App Store oferece gratuitamente uma unidade do iPhone 4 Case Bumper para cada pessoa que tenha adquirido o novo celular. O programa de distribuição das capas vai até o dia 30 de setembro.

As capinhas gratuitas distribuídas pela App Store, entretanto, devem custar US$ 175 milhões para a empresa de Jobs. Nada que a empresa de Cupertino deva se preocupar, uma vez que o lucro da empresa no terceiro trimestre chegou a 3,25 bilhões de dólares.

A receita da companhia cresceu acima da espectativa de Wall Street, alcançando a marca de 15,7 bilhões de dólares. Isso quer dizer que não serão os bumpers que atrapalharão a festa da Apple neste ano.

Caso você ainda esteja curioso e queira saber mais informações sobre a conferência, é possível assistir à fala de Jobs diretamente no site da Apple.

MacLançamentos

Saindo do iPhone 4 e passando para a linha de netbooks, rumores sugerem que a Apple vai entrar de vez no mercado com um MacBook Air de 11.6 polegadas, a ser lançado ainda no final deste ano.

De acordo com a Digitimes, responsável pelo furo, os novos MacBooks Air terão a linha Core “i” como processador, ou seja, algo de alto desempenho para manter o netbook atualizado e rodando qualquer aplicativo mesmo com um tamanho menor. Serão disponibilizadas cerca de 400 mil unidades para venda.

Novo MacBook Air pode resgatar o título de mais fino do mundo.

Divulgação/Apple

Outro lançamento que deve esquentar as vendas da Maçã é a da segunda geração do iPad. De acordo com os rumores, o novo dispositivo contaria com tela OLED de 5,6 e 7 polegadas e, assim como o MacBook Air, deve chegar ao mercado no final deste ano.

Enquanto os modelos menores do iPad focam no público leitor de e-books, a versão 9,7 conhecida deve receber pequenas mudanças, para o mercado multimídia e de entretenimento. Os boatos sobre o novo modelo existem, mas são improváveis.

O MacBook Air é uma realidade muito mais tangível, porém o iPad com tela OLED não deve sair ainda neste ano, o que contraria as especulações. Isso porque a Samsung, maior fabricante de telas deste tipo não seria capaz de suprimir a demanda desses produtos para ainda este ano.

Para completar o time de lançamentos, espera-se (em setembro) que os novos iPods Touch também apareçam no mercado, dessa vez trazendo uma câmera de 3 megapixels baseada no processador A4 presente no iPhone 4. Nesse caso, as estimativas são mais generosas: 17 milhões de unidades para venda.

Novos Mac Pros: velocidade e conectividade

Depois de mais de um ano sem atualizações, a notícia que chega deve deixar os usuários bastante satisfeitos. Embora o processador, o chipset e os gráficos ainda não tenham sido revelados, o computador será ainda mais rápido.

USB 3.0 pode chegar ao Mac Pro.

 

Isso devido ao fato de trazerem a entrada USB 3.0 e um FireWare da próxima geração. As novas entradas USB são compatíveis com os anteriores, porém dez vezes mais rápidas do que as antigas 2.0. Da mesma forma, o FireWire 3200 que será adotado nas novas máquinas oferece cerca de 3.2 Gbps, um avanço em relação ao FireWire 800 atual.

iPad no Brasil? Ainda não!

O público brasileiro ainda espera pelo lançamento oficial do iPad em revendedoras autorizadas do país. Entretanto, não será desta vez.

Os nove países que receberão carregamentos do iPad serão Áustria, Bélgica, Hong Kong, Irlanda, Luxemburgo, México, Holanda, Nova Zelândia e Singapura, tanto os modelos Wi-Fi quanto 3G. Ou seja, ainda nada de novo para as terras tupiniquins.

Patentes e aprovações

Com o problema da antena, há de se imaginar que a Apple deva manter aquilo que funciona em seus aparelhos. Entretanto, uma patente registrada ainda este ano sugere que o cabo de dados, que sempre acompanhou os dispositivos da Maçã, também será modificado futuramente.
A ideia do novo encaixe é a de que o usuário não precise deixar o aparelho deitado na posição horizontal, uma vez que você encaixa o cabo de dados e repousa seu iPod na mesa ao lado do computador.

Em breve, os cabinhos brancos podem não ser mais necessários.

Fonte: Appleinsider

Nesse sentido, o novo aparato permite que o usuário deixe que o iPod seja encaixado verticalmente, com o sentido da tela da maneira que a pessoa quiser. Essa alternativa permite que você assista a filmes, por exemplo, sem necessariamente desplugar o aparelho do computador.

Fones compartilhados

Outra patente cadastrada recentemente mostra um dispositivo para fones de ouvido que devem resolver o problema de quem está sempre com a música nos ouvidos, porém não consegue ouvir o mundo à sua volta.

De acordo com a patente, ao tirar o fone da orelha, o iPod, por exemplo, detectaria o movimento e automaticamente passaria a tocar monoaural, ou seja, a música seria transmitida em sua totalidade em apenas um ouvido.

Ao passo que, ao retornar para o ouvido, ele perguntaria se você prefere manter o som mono ou retornar ao estéreo, para melhorar a qualidade. Na mesma linha, outra patente também aborda a forma com que os conectores 3,5 mm dos fones são reconhecidos, o que permitiria diminuir ainda mais os aparelhos que trazem entradas para este aparelho.

iAds pode chegar ao Mac OS X.

Fonte: MacRumours

Para completar, quem não gosta de propagandas vai ficar frustrado com a notícia do reenvio da patente que trata de subsídios para sistemas operacionais integrados a propaganda. A nova patente não traz muitas mudanças em relação ao projeto anterior, ou seja, talvez futuramente existam propagandas em seu sistema operacional.

TrackPad com Bluetooth

Acessórios já patenteados, agora é hora de aprovar! O novo TrackPad acabou de receber aprovação para comercialização da FCC (Federal Communications Commission, órgão regulamentador equivalente à Anatel no Brasil) e traz uma novidade e tanto: funcionará via Bluetooth.

Trackpad Bluetooth é um produto-mistério no pomar.

Fonte: MacRumours

O dispositivo é conhecido apenas pelo número A1339 e está cadastrado somente como um “dispositivo Bluetooth” usado em conjunto com o MacBook, sem mencionar qualquer ligação a redes Wi-Fi ou WLAN. A localização do adesivo da FCC é uma dica de que realmente se trata do Trackpad, portanto vale a pena esperar para ver, uma vez que o anúncio não deve demorar.

Aplicativos da Apple seriam os menos seguros do mercado

De acordo com a empresa de segurança Secunia, a Apple apresenta mais vulnerabilidade de segurança do que a concorrente Microsoft.

O foco da pesquisa traz aquelas empresas que são menos seguras e a Apple ganhou tendo como carro-chefe brechas do player Quicktime e, principalmente, do Safari. No navegador, por exemplo, o "autocompletar" pode revelar dados do usuário, o que deixa mais vulneráveis as informações pessoais.

O segundo lugar ficou com Oracle, seguido pela Microsoft, HP e Adobe. Além disso, todas aquelas que ocupam os sete primeiros lugares não conseguiram diminuir as falhas de segurança de seus produtos, o que não deixa de ser um dado preocupante.

Por dentro da maçã.

Brigas, rumores e problemas à parte, o que se percebe é que a Apple continuará firme e forte pelo caminho. Entretanto, agora com algumas falhas que, como o próprio Jobs comentou na conferência, podem acontecer com qualquer um. Enquanto isso, aguardamos por mais notícias da Maçã. Fique ligado, pois semana que vem tem mais.

Cupons de desconto TecMundo: