(Fonte da imagem: Reprodução/MacMagazine)

Pode um computador ser o culpado por alguém se tornar viciado em acessar conteúdos pornográficos? O advogado norte-americano Chris Sevier acredita que sim e, por conta disso, está processando a Apple por torná-lo um consumidor compulsivo de conteúdo erótico. Parece até brincadeira, mas é essa mesma a alegação de Sevier.

Segundo ele, tudo começou quando ele foi acessar o Facebook de maneira despretensiosa, mas acabou trocando algumas letras da palavra, formando outro termo (fu**book). O fato de as letras “a”, “c” e “e” estarem longe das que ele digitou é uma mera coincidência.

Após acessar essa nova página, um mundo de novidades se abriu para Sevier. Conforme ele descreve no processo, este “apelo para a sua sensibilidade biológica como homem o levou a um vício indesejado, com consequências adversas”. Em outras palavras: ele se tornou viciado em pornografia. Seu vício o levou a se se separar da esposa e a ter diversos problemas emocionais.

De quem é a culpa?

Depois de analisar a sua situação e olhara para o seu computador ele concluiu que a culpa era da Apple, a fabricante da máquina que ele usava. Segundo o advogado, é responsabilidade da empresa colocar um filtro no computador para que esse tipo de conteúdo não seja acessado de forma tão “acidental”, digamos assim.

A íntegra do processo pode ser lida neste link (em inglês). 

Cupons de desconto TecMundo: