Exemplo de militares utilizando smartphone. (Fonte da imagem: Reprodução/ABCNews)

Nos últimos anos, diversos filmes têm mostrado agentes especiais ou soldados norte-americanos utilizando alguns dos gadgets da Apple. Apesar de, na história, os aparelhos serem usados de maneira bem eficiente, isso ainda não acontece na realidade, já que os militares dos EUA têm acesso somente a dispositivos BlackBerry e Android.

Contudo, esta situação está para mudar, pois o governo dos Estados Unidos recentemente encomendou 650 mil iPads, iPhones e iPods Touch. Um dos objetivos é o de utilizar as alternativas de comunicação e conexão — como rádio, ligações tradicionais e WiFi — para facilitar a transmissão de informação entre os oficiais, o que pode facilitar o andamento de missões, por exemplo.

Apesar disso, os militares norte-americanos vão demorar um pouco para realmente colocarem as suas mãos nos tablets ou smartphones da Maçã. Isso acontece pelo fato de que o exército do país precisa fazer com que os aparelhos passem por um processo de implementação e de melhorias, por assim dizer.

O que vai mudar?

A princípio, o governo americano vai alterar os gadgets para que eles não possam transmitir informações que sejam consideradas secretas, de maneira que missões e outros registros não caiam na internet. No entanto, ainda não se sabe como essa proibição vai poder ser acrescentada ao sistema.

Também há a preocupação com o sinal WiFi. Entidades especializadas afirmam que não há como comprovar que o aparelho não está conectado, por mais que você dê esse comando. Por conta disso, eles querem impedir que dados sejam discretamente roubados e, para isso, estão desenvolvendo um desligamento mecânico, no qual o militar abre a carcaça do dispositivo e interrompe o recebimento de sinal.

Além disso, é bem provável que o exército dos EUA também crie um aplicativo inteiramente voltado para fins militares, sendo que uma versão exclusiva do iOS 6 deve ser desenvolvida pela própria Apple.

Cupons de desconto TecMundo: