(Fonte da imagem: Reprodução/The Verge)

A disputa judicial entre a Apple e a Samsung está provocando o surgimento de várias imagens que normalmente estariam restritas aos funcionários das duas empresas. Na última terça-feira (31), o Christopher Stringer, designer da Apple há 17 anos, mostrou dezenas de protótipos rejeitados do iPhone e do iPad que ajudam a dar uma ideia do design estético que a companhia da Maçã procurava dar a seus aparelhos.

Alguns dos dispositivos exibidos mostram uma grande semelhança com a filosofia seguida pelos produtos da Sony — exemplo disso é o “Apple Proto 87”, gadget de cor preta com botões e entradas localizadas em somente um de seus lados. Segundo Stringer, a Apple criou “centenas” de modelos diferentes durante seu processo de desenvolvimento, e somente alguns deles receberam melhorias conforme os criadores desenvolviam novos elementos e funções.

Samsung irrita juíza

Mal o embate legal começou e a Samsung já conseguiu enfurecer a juíza Lucy Koh ao enviar para a imprensa evidências que foram rejeitadas pela corte. Entre os itens divulgados pela companhia está o smartphone F700, que estava sendo desenvolvido meses antes do lançamento do iPhone em 2007.

(Fonte da imagem: Reprodução/The Verge)

Entre os documentos que não puderam ser incluídos no julgamento estão emails internos da Apple, através dos quais a companhia discute o uso de um estilo semelhante ao da Sony em seus aparelhos. O principal motivo que levou à rejeição das evidências foi a demora da empresa em apresentá-los para uma análise do tribunal.

“A evidência excluída teria estabelecido que a Samsung não copiou o design do iPhone”, disse a empresa em um comunicado enviado à imprensa. A juíza do caso insistiu em saber quem era o responsável por tal ação, se mostrando descontente com ambos os lados pela sua falta de vontade em chegar a um acordo amigável.

Acusações

Segundo os advogados da Samsung, o argumento de que a empresa violou as patentes da Apple deve ser considerado inválido. A companhia sul-coreana afirmou que já estava trabalhando em um design próximo ao do iPhone antes mesmo de o smartphone ser lançado.

Charles Verhoeven, conselheiro da Samsung, disse que a organização de Tim Cook não está contando toda a história e que a sua companhia se orgulha de oferecer aos consumidores exatamente os produtos de que eles precisam — caso isso seja dispositivos com telas sensíveis ao toque, é exatamente o que eles vão entregar.

(Fonte da imagem: Reprodução/The Verge)

“A Samsung é uma empresa de tecnologia importante que desenvolve suas próprias inovações”, afirmou ele aos 9 jurados do caso. Verhoeven também aproveitou para exibir vários exemplos de dispositivos com design minimalista que haviam sido criados, revelados ou demonstrados antes do lançamento do iPhone.

Ele também mostrou um protótipo do iPad conhecido como “035” que, segundo ele, serviu como base para a patente de design 889 da Apple, usada pela companhia para atacar o Galaxy Tab. O conselheiro espera que a pouca semelhança entre o aparelho não finalizado e o tablet da Samsung convença os jurados de que as acusações da rival são totalmente infundadas.

Contestação de patentes

A empresa sul-coreana também aproveitou para contestar diversas patentes da Apple, demonstrando exemplos de companhias que haviam registrado tecnologias semelhantes antes dela. O time legal da companhia finalizou seu argumento se defendendo da acusação de que não registrou corretamente suas propriedades relacionadas a tecnologias essenciais para os padrões usados pela indústria.

A Samsung afirmou que não era obrigada a revelar detalhes sobre essas patentes, devido a suas características confidenciais na época em que foram criadas. O júri presente pareceu calmo durante as declarações de ambas as empresas e aparentemente não se deixou afetar muito pelos argumentos de nenhum dos lados.

Fonte: The Verge (1,2,3)

Cupons de desconto TecMundo: