(Fonte da imagem: Reprodução/Forbes)

Alwaleed bin Talal, príncipe (e bilionário) saudita, declarou que a Apple será julgada daqui a dois anos, pois, nos próximos cinco ou seis trimestres, a empresa ainda estará sob forte influência do legado do seu finado fundador, Steve Jobs. O príncipe é um grande acionista da companhia e também disse que era a força de Jobs que mantinha a Apple funcionando “a todo vapor”.

De acordo com o portal online da Bloomberg, Alwaleed disse em uma entrevista no programa “Charlie Rose” que nada deve mudar em curto prazo. Porém, o efeito da nova administração só poderá começar a ser avaliado dentro de, mais ou menos, dois anos. Enquanto isso, Tim Cook, chefe executivo da Apple em Cupertino, na Califórnia (EUA), afirmou que não há nenhuma mudança nas estratégias da empresa, deixadas por Jobs.

Boletins financeiros divulgados no mês passado apontam que a “empresa da Maçã” acumulou ganhos de US$ 13,1 bilhões (quase R$ 22,3 bilhões de acordo com a cotação do dia). O valor indica que a Apple lucrou mais do que o dobro do ano anterior, sendo que a maior parte do número recorde foi gerada pela venda de iPhones, iPads e computadores Mac.

Cupons de desconto TecMundo: