A Apple garantiu ontem (14) uma patente que pode trazer novidades interessantes para um futuro iPhone. Trata-se de um "display interativo com diodos infravermelhos", sendo que "cada circuito de subpixels inclui uma placa que opera uma LED correspondente em modo de emissão de luz" — em outras palavras, uma camada da tela sensível ao toque que emite luz e reconhece as impressões digitais via toque do usuário em qualquer ponto de sua superfície.

Assim, todo o display do iPhone se torna um leitor de digitais, independente do local em que você posicione o dedo. Caso o registro de fato se torne realidade, o sensor biométrico Touch ID presente somente no espaço do botão Home estaria com os dias contados ou se tornaria apenas uma entre as várias possibilidades de desbloqueio de tela e substituto das senhas. Ele existe desde 2013 e rumores apontam já há algumas gerações que a Apple vai tentar eliminar o botão Home assim que puder.

O sensor pode ser personalizado até para realizar tarefas que vão além da biometria, como responder ao toque realizando certas ações — de ser um sensor de luz ambiente até detectar proximidade de objetos, como no momento em que você faz ligações telefônicas e aproxima o rosto do smartphone. 

Ele verá a luz do dia?

Originalmente, a patente era da pequena empresa LuxVue, que foi adquirida pela Apple há pouco tempo. É claro que registros em órgãos como o US Patent and Trade Office não significam que o produto chegará em breve às lojas — pode ser apenas uma garantia de patente da Apple ou uma ideia que ainda está em fase embrionária de desenvolvimento. Porém, também pode significar uma tecnologia já avançada e que só aguardava regularização.

Os novos iPhones (tanto a geração 7s quanto a suposta edição comemorativa de luxo dos 10 anos do aparelho) devem ser apresentados em setembro deste ano.

Cupons de desconto TecMundo: