A Apple anunciou ontem, por meio de uma série de veículos internacionais, que tinha levado a Qualcomm à Justiça nos EUA por se sentir prejudicada pela fabricante de chips em negociações envolvendo o licenciamento de modems LTE para os iPhones. A Maçã afirma que a Qualcomm estaria cobrando preços abusivos e exigindo como pagamento pelos componentes uma porcentagem das vendas de iPhones em vez de valores fixos pelos produtos. Hoje, a Qualcomm fez um comunicado oficial revidando essas críticas.

Segundo a fabricante de chips, a Apple estaria “propositalmente interpretando mal os fatos” e mencionou que a Maçã estaria sistematicamente incentivando órgãos regulatórios em todo o mundo a atacarem a empresa. Ou seja, este seria um caso de perseguição, de acordo com Don Rosenberg, vice-presidente executivo da Qualcomm.

Muita grana

A Qualcomm foi multada em dezembro na Coreia do Sul por “práticas injustas” no mercado mobile e deve pagar cerca de US$ 854 milhões por isso. Nos EUA, a companhia também está sob investigação por truste. Em ambos os casos, a Apple cooperou com as autoridades contra a Qualcomm e, por isso, teria sofrido retaliações, uma vez que a parceira era a fornecedora exclusiva de modems LTE para iPhones até 2016.

A Apple cooperou com as autoridades contra a Qualcomm e, por isso, teria sofrido retaliações

Essas retaliações foram consideradas “medidas radicais” pela Apple: a Qualcomm estaria “segurando cerca de US$ 1 bilhão em pagamentos da Apple como retaliação por termos respondido com a verdade a agências governamentais que investigam a empresa”.

“Por muitos anos, a Qualcomm vem insistindo em cobrar injustamente royalties por tecnologias que eles não desenvolveram. Quanto mais a Apple inova com recursos únicos, como o Touch ID, telas avançadas e câmeras — para citar apenas alguns — mais a Qualcomm recebe dinheiro sem motivo, o que torna caro para a Apple financiar essas inovações”, disse a Maçã em seu comunicado.

O outro lado

Em um comunicado publicado em seu site oficial hoje, a Qualcomm rebate todas as críticas da Apple e afirma que o processo protocolado contra a empresa não tem nenhuma base legal.

A Apple vem ativamente incentivando ataques de agências regulatórias à Qualcomm

“A Apple descaracterizou intencionalmente nossos acordos e negociações, bem como a grandiosidade e o valor da tecnologia que inventamos, contribuímos e compartilhamos com todas as fabricantes de celulares pelo nosso programa de licenciamento. A Apple vem ativamente incentivando ataques de agências regulatórias à Qualcomm em várias jurisdições pelo mundo, como no caso recente do KFTC [multa na Coreia do Sul] e queixa no FTC [nos EUA], através da má interpretação de fatos e da omissão de informações. Nós agradecemos a oportunidade de esclarecer esses méritos no tribunal, onde poderemos revelar completamente as práticas da Apple e fazer uma robusta análise dos méritos”, escreveu Rosenberg.

Não foram revelados detalhes específicos sobre o processo judicial, mas é muito provável que essa disputa leve alguns anos para ser resolvida, como foi o caso entre Apple e Samsung há algum tempo. Fique ligado no TecMundo para acompanhar os próximos capítulos “da nova novela” envolvendo a Maçã nos tribunais norte-americanos.

Cupons de desconto TecMundo: