Uma multidão acompanhou a conferência anual de desenvolvedores da Apple, que trouxe diversas novidades aos fãs, principalmente em relação ao iOS, Lion e ao novo sistema iCloud.

Lion

A conferência começou com o Lion, que representa a aplicação do conceito de toque do iOS em desktops. Os gestos incluem funções como arrastar, encolher e outras já conhecidas, o que faz com que a barra de rolagem praticamente desapareça do sistema.

Aplicativos agora têm visualização para tela cheia, mas um gesto simples basta para o usuário voltar à visualização padrão. E mais de um aplicativo pode ser utilizado em tela cheia, bastando deslizar o dedo para trocar de um para outro.

Vimos na conferência o Photo Booth em tela cheia. O programa agora reconhece rostos, pode fazer ajustes automáticos e até brincar com as fotos. O Lion já terá a Mac App Store incluída. Segundo a Apple, os usuários já descobriram que a App Store é a melhor forma de comprar softwares e a loja já passou grandes concorrentes do varejo.

O Lion também terá a central de aplicativos Launch Pad, com funcionamento idêntico ao dos iPhones e iPads, com ícones para os aplicativos dispostos na tela. O usuário pode montar pastas e os aplicativos que forem fechados continuam do exato ponto onde pararam. Isso vale até mesmo depois que o sistema é reiniciado.

Outro recurso novo é o AirDrop, para compartilhar documentos por meio de conexões P2P. Um usuário só precisa arrastar o arquivo desejado até a janela do AirDrop, e o outro só precisa confirmar o recebimento.

A Apple também mostrou a versão atualizada do Mail, com novo design que organiza conteúdos por colunas, barra de favoritos, separação de mensagens e busca com sugestões, como o recurso de autocompletar de mecanismos de busca como o Google.

O Lion será distribuído exclusivamente via App Store com tamanho de 4 GB e preço de US$ 30. O sistema chega ao mercado em julho.

iOS 5

Depois foi a vez do iOS 5, com nada menos do que duzentos novos recursos. Agora, as notificações serão agrupadas, e o usuário só precisa de um gesto para abrir essa área. A integração com os aplicativos aparentemente está muito melhor.

O iOS 5 virá com Twitter. O usuário estará sempre logado em sua conta, com preferências e ajustes salvos o tempo todo. Contatos do telefone serão integrados ao microblog.

O Safari também tem novidades, como o Reader, que combina muitas notícias em uma única página, até mesmo cortando anúncios e outros conteúdos indesejados. Os usuários poderão combinar histórias para ler depois e enviar links via email facilmente. O Safari também terá navegação por abas.

A câmera do iPhone 4 é uma das mais populares do mundo, por isso a tela de bloqueio terá atalhos para ela. Assim, o usuário não perde um momento que precisa ser registrado rapidamente. Os botões de volume serão utilizados para capturar as imagens, e o fotógrafo terá linhas guia, controle de zoom por gestos e outras facilidades.

O iOS está livre dos PCs. Quer dizer, não é mais necessário sincronizar via cabo. Tudo é feito sem fio, incluindo ativação e atualizações. Agora os usuários do Game Center terão avatares, fotos, pontos de conquistas, amigos, conteúdo recomendado e muito mais.

Para troca de mensagens entre todos os dispositivos iOS, a novidade é o iMessage, que terá texto, imagens, vídeos, contatos e chats em grupo. Todos os dados serão trocados via 3G ou Wi-Fi. Desenvolvedores já têm acesso ao iOS. A versão para consumidores chegará na primavera com suporte para iPhones a partir do 3GS.

iCloud

Steve Jobs voltou ao palco para falar sobre o iCloud, um sistema de sincronização de conteúdos na nuvem, como um disco rígido “no céu”. O iCloud armazena o conteúdo do usuário e o compartilha via wireless para todos os dispositivos. Todos os dados serão sincronizados automaticamente, inclusive contatos do telefone. Todo conteúdo que o usuário adquirir será automaticamente transferido entre dispositivos.

Tudo o que o usuário tiver de importante será enviado para a nuvem, portanto nunca haverá grandes perdas nem mesmo quando um aparelho estragar. A verificação é feita três vezes ao dia.

Desenvolvedores poderão conectar seus próprios programas às nuvens, o que garante bilhões de possibilidades para os usuários. Isso é válido para PCs e Macs. No caso de PCs, o acesso é feito através de uma simples pasta com o conteúdo.

"One More Thing"

O “One More Thing” deste ano foi sobre as suas músicas que você adquiriu por fora do iTunes, uma maneira delicada de dizer “piratas”. O iTunes Match escaneia a sua biblioteca, lê o que você tem e ela é espelhada nas nuvens.

As músicas são substituídas por versões originais de alta qualidade e isso só vai custar US$ 25 anuais para os usuários. Esse preço é único para até vinte mil músicas. E assim terminou a conferência da Apple para desenvolvedores de 2011.

Cupons de desconto TecMundo: