A Apple é famosa por conseguir criar necessidades de uso de seus aparelhos nos consumidores, mesmo que elas não existam. Aliada a isso, a qualidade de seus produtos está fazendo com que a companhia continue expandindo a abrangência de seu portfólio para mercados pouco explorados até então.

Um desses casos é a China, país no qual a marca vendeu cerca de 1 milhão de iPhones 6 e iPhones 6 Plus em 6 horas. Inclusive, uma agência de pesquisa chinesa alega que a Maçã já ultrapassou a Samsung no país. Porém, o alto valor dos equipamentos da Apple levam as pessoas a fazer loucuras para ter um equipamento com a imagem da maçã mordida.

O caso mais recente é de um jovem chinês de 21 anos, morador da cidade de Guangzhou, que foi preso vendendo drogas. Ao ser detido pela polícia em uma estação de trem na última terça-feira, dia 10 de março, tentando comercializar entorpecentes para um amigo, o rapaz alegou que estava fazendo aquilo para adquirir uma unidade do relógio inteligente anunciado no final do ano passado, o Apple Watch.

Conforme relatado pelo site MarketWatch, o homem identificado apenas como Zeng estava de olho no modelo do wareable feito em aço inoxidável, que na China custará o equivalente a US$ 668 — valor que ficaria em torno de R$ 2.150 em uma conversão direta na cotação atual. É válido salientar que esse modelo mais tradicional do relógio será vendido nos EUA por R$ 549. O Apple Watch deve chegar às prateleiras das lojas no dia 24 de abril.

Cupons de desconto TecMundo: