O lançamento comercial do Apple Watch está cada vez mais próximo, mas pouco se sabe acerca do produto. Entretanto, de acordo com o The Wall Street Journal, o acessório não deve ser nenhuma grande revolução no rastreamento de dados vitais ou da prática de exercícios. De acordo com o jornal, em seus quatro anos de desenvolvimento, o Apple Watch perdeu muitas funções relacionadas à saúde por conta da má qualidade dos sensores disponíveis no mercado atualmente.

Basicamente, a Apple perdeu muito tempo testando diversos equipamentos e acabou decidindo não incluir nada além de um sensor de batimentos cardíacos e um pedômetro. Demais funcionalidades relacionadas à saúde não passaram nos testes de qualidade da empresa.

“A Apple começou a desenvolver o relógio cerca de quatro anos atrás, com o foco em saúde e fitness. Não é comum para a Apple experimentar tantas tecnologias ou trocar de foco durante o desenvolvimento, mas o relógio foi especialmente desafiador, dizem pessoas familiarizadas com o assunto. Internamente, o projeto ficou conhecido como ‘buraco negro’, sugando recursos…”, escreveu Daisuke Wakabayashi, do The Wall Street Journal.

Assim como a concorrência

Isso, entretanto, não é nenhuma surpresa. Afinal, a maioria dos smartwatches da atualidade não conta com muita coisa mais avançada do que isso que Apple deve trazer no seu relógio pelos mesmos motivos. A tecnologia atual ainda não é boa o suficiente para rastrear dados vitais mais diversos.

Ainda assim, a Maçã espera vender muitas unidades do Apple Watch, mesmo ele sendo somente um acessório para iPhones. Fontes do jornal comentam que a companhia já encomendou 6 milhões de Apple Watches só para o primeiro trimestre após o lançamento. Metade desse montante é da versão de entrada do relógio.

Cupons de desconto TecMundo: