O Apple Watch é um sucesso absoluto, com estimativas apontando para mais de 25 milhões de unidades vendidas. Um desempenho significativo e que supostamente já gerou mais receita à Apple do que toda a indústria de relógios da Suíça faturou desde setembro de 2014, quando a primeira versão gadget foi lançada.

Um dos principais atrativos do relógio desenvolvido em Cupertino é sua ligação com a saúde. Isso porque ele traz recursos específicos que o tornam um ótimo companheiro para monitorar atividades físicas e o seu estado de saúde de forma geral, mas isso deve ser incrementado ainda mais no futuro. Rumores apontam que a Apple pode ser pioneira ao incluir um monitor de glicose em uma próxima versão do aparelho.

Quem traz a informação ao público é o site BGR, que garante ter fontes internas na Maçã. De acordo com o editor Jonathan S. Geller, a Apple teria contratado nada menos do que 200 pós-doutores a fim de focar no desenvolvimento desse recurso ainda inédito no setor dos relógios inteligentes.

Apple teria contratado 200 pós-doutores para ampliar as funções de saúde do seu relógio

Ao que tudo indica, a Apple traria uma inovação não apenas para o setor dos smartwatches, mas para o da saúde de forma geral. Afinal de contas, atualmente, apenas é possível medir o nível da glicose de alguém por meio de amostra de sangue ou com um aparelho específico que é introduzido na pele. Assim, se a Maçã for capaz de apresentar algo diferente disso, a evolução seria ainda maior.

Outra novidade aqui é que, diferente do que outros rumores apontavam, o monitor de glicose do Apple Watch não deve ser um dispositivo à parte do relógio. Assim, ele deve fazer todo o serviço de monitoramento a partir de seu corpo principal; ou seja, mais prático, impossível.

Pulseiras inteligentes

Ainda de acordo com o BGR, a Apple planeja mais mudanças para uma versão futura do Apple Watch. Elas incluiriam, por exemplo, o uso de pulseiras inteligentes sensíveis ao toque, adicionando mais recursos ao dispositivo de um jeito bastante intuitivo. O mais legal de tudo isso é que tal inovação não causaria influência no preço final do produto.

Entre os recursos que podem aparecer diretamente na pulseira de um Apple Watch estariam uma câmera ou mesmo uma bateria extra para aumentar a durabilidade da carga dada no dispositivo no início do dia. As possibilidades abertas por pulseiras inteligentes são várias e, se elas realmente forem reais, devem ser exploradas pela Apple.

Cupons de desconto TecMundo: