Os sistemas de desbloqueios de tela dos aparelhos portáteis evoluiu muito nos últimos anos. Eles já foram baseados em senhas numéricas; passaram a permitir o uso de desenhos em tela; depois permitiram o uso de reconhecimento facial; leitores de impressões digitais; identificadores de íris... É muita coisa? Pois ainda existe como melhorar tudo isso!

De acordo com uma nova patente enviada para registro pela Apple, há grandes chances de que no futuro vejamos um sistema de identificação instalado com o sensor de batimentos cardíacos. Isso mesmo: um sistema capaz de identificar os usuários por meio da corrente sanguínea. O nome oficial no registro é "Sistema de identificação de usuário baseado em pletismografia".

A patente sugere o uso dos sensores cardíacos do Apple Watch para isso. De acordo com o documento, os emissores de luz e sensores de recepção de luz do smartwatch seriam capazes de identificar características do sistema vascular de cada usuário — com base em padrões criados a partir da experiência de uso e do armazenamento de dados.

Em resumo, os sensores seriam capazes de diferenciar as pessoas pelo cálculo de absorção de luz nas veias e artérias, uma vez que isso pode ser medido pela taxa de reflexão de raios infravermelhos.  Como isso está diretamente ligado à distribuição e à espessura vascular de cada pessoa, o sistema poderia reconhecer cada usuário sem grandes dificuldades. 

Ainda não se sabe se o sistema pode ser usado apenas para desbloquear o Apple Watch ou se também faria o mesmo para iPhones conectados. É claro, ainda se trata apenas de uma patente e não há qualquer previsão de quando veremos isso no mercado. Será que a ideia é boa?

Cupons de desconto TecMundo: