A Guerra de Secessão foi uma guerra civil que aconteceu nos Estados Unidos entre 1861 e 1865. Ela ocorreu por conta de o Sul do país (Confederados) não concordar com o Norte (União) sobre o fim da escravidão e tentar se separar formando os Estados Confederados da América. Depois de quatro anos de combate e milhares de soldados mortos, a União venceu e os escravos se tornaram livres.

Porém, mesmo com a derrota, em alguns estados do Sul dos Estados Unidos, a bandeira dos Confederados ainda é vista tremulando em vários prédios do governo como um símbolo de orgulho sulista. Talvez não por muito tempo.

Diante do último massacre com cunho racial que aconteceu em Charleston, na Carolina do Sul, um debate sobre o uso da bandeira e do que ela representa começou a fervilhar. Muitos dizem que o estandarte dos Confederados é um símbolo racista, pois os soldados lutavam principalmente contra o fim da abolição da escravatura.

O que a Apple tem a ver com isso?

Na App Store, assim como em outras lojas de jogos, existem games que mostram conflitos históricos, e a Guerra de Secessão está entre as batalhas retratadas. Mas, por mostrarem justamente o símbolo dos Confederados no ícone, ao apps estão sendo suspensos até se adaptarem ao novo padrão.

Tim Cook, o CEO da companhia, declarou no Twitter que as pessoas deveriam honrar as vítimas do massacre de Charleston erradicando o racismo e removendo os símbolos e palavras que o alimentam.

A empresa da Maçã não está sozinha na proibição. Outras empresas como a Amazon e o eBay removeram itens que continham a bandeira dos Confederados. Porém, por ter todo o contexto de batalhas históricas, o veto da Apple parece um pouco mais radical.

Dois pesos e duas medidas

Um ponto em que a companhia de Tim Cook está recebendo muitas críticas é que apenas apps foram banidos. Outros tipos de conteúdo por download no iTunes, como filmes, capas de álbuns e de livros que contenham o símbolo, continuam disponíveis.

Além disso, alguns aplicativos acabaram escapando da faca. The Civil War Today, do History Channel, continuava na loja mesmo depois de diversos jogos serem removidos dela, provavelmente por ser usado principalmente para fins educativos.

Possíveis explicações

As guidelines da Apple declaram que os apps são vistos de maneira diferente de outros tipos de mídia, como livros e canções, que não são curadas. Segundo a empresa “Se você quiser criticar uma religião, escreva um livro. Se você quiser descrever sexo, escreva uma canção, um livro ou um app para fins médicos”.

A empresa da Maçã costuma ser bem radical ao julgar aplicativos e já baniu outros jogos antes por terem cenas de nudez ou comentários sobre política. Você acha que a proibição de exibir a bandeira no ícone foi acertada? Compartilhe nos comentários.

Cupons de desconto TecMundo: