Muitos podem nem saber ou imaginar, mas o sistema operacional móvel mais popular do mundo, o Android, já possui mais de seis anos desde que estreou no mercado. Com uma grande fatia do segmento e uma quantidade gigantesca de usuários ativos, o SO da Google conquistou boa parte do mundo por causa de sua simplicidade e funcionalidades.

A saga do robozinho verde começou no dia 23 de setembro de 2008 com o aparelho T Mobile G1, também chamado de HTC Dream. Esse dispositivo pioneiro, inclusive, ainda é capaz de executar uma das versões mais recentes do sistema operacional da Google, o Jelly Bean.

Ainda no clima de comemoração por causa dos seis anos (um mês e alguns dias) do Android, apresentaremos uma série de curiosidades que muitos usuários do SO provavelmente desconhecem. São detalhes que, por um motivo ou outro, ficaram esquecidos na história desse programa e iremos desenterrá-los para saciar a curiosidade dos amantes desse sistema.

1. Ordem alfabética de doces

Todos sabem que a Google resolveu adotar o nome de doces para nomear as suas versões do sistema operacional. Porém, poucos sabiam que a companhia optou por seguir uma ordem alfabética para esses títulos, começando pela letra C: Cupcake, Donut, Eclair, Froyo, GingerBread, Honeycomb, Ice Cream Sandwich, Jelly Bean, KitKat e Lollipop.

Apesar de não sabermos qual será o codinome da próxima atualização do SO, sabemos qual será a sua inicial: M. Será que teremos um “Android Marshmallow” chegando por aí? Ou quem sabe “Android M&M’s”?

2. Nomes rejeitados

Não faz muito tempo que publicamos um artigo que reunia alguns dos nomes rejeitados pela Google que poderiam ter substituído o Android Lollipop. Porém, essa brincadeira envolvendo o mistério sobre o nome do SO não começou com a versão mais recente do sistema.

Na época em que a Google anunciou o Android K, muitos apostaram no “Key Lime Pie” como o nome do dele. E muitos outros nomes também foram descartados. Na galeria acima, você confere alguns dos mais bizarros e que, provavelmente, devem ter sido fruto de uma “zuerira” apenas (Android HotDog, por exemplo).

3. Desenvolvido para tirar fotos

Apesar de já existirem câmeras especializadas equipadas com o Android, como a Samsung Galaxy NX, o foco do SO é, sem dúvida, os smartphones e tablets. No entanto, não era isso que o criador do sistema esperava. Andy Rubin havia concebido esse programa para ser uma plataforma para equipar câmeras digitais.

Mesmo que não tenha acontecido exatamente da forma como Rubin imaginou, milhões de fotos que estão espalhadas pela internet devem ter sido capturadas com um dispositivo equipado com o Android. No final das contas, as previsões do desenvolvedor não estavam totalmente erradas.

4. Rejeitado pela concorrência

Quem iria imaginar que o Android se transformaria nesse “monstro” que é hoje? Não as concorrentes da época em que o SO da Google ainda estava engatinhando. Symbian, BlackBerry, Palm e Windows Mobile eram as “gigantes” naqueles tempos e nenhuma deu crédito para a ameaça que o robozinho verde representava.

Curiosamente, nenhum dos sistemas mencionados anteriormente representa qualquer ameaça para o próprio Android, nem mesmo a evolução do Windows Mobile, o Windows Phone. Que virada de jogo, não é mesmo?

5. Qualquer um pode programar gratuitamente para o Android

Ao contrário do iOS, que cobra um valor anual de US$ 99 (aproximadamente R$ 244) dos desenvolvedores, o Android é uma plataforma para a qual é totalmente gratuito programar. Não é preciso desembolsar um tostão para criar jogos e aplicativos para a plataforma do robozinho verde.

No entanto, caso você queira publicar a sua criação na Google Play, a loja oficial de aplicativos da companhia, será necessário pagar uma taxa única de US$ 25 (aproximadamente R$ 61). Convenhamos: é um valor irrisório para quem pode ganhar “rios de dinheiro” com apps desenvolvidos para Android. Vale ressaltar que programar para o Windows Phone também é gratuito.

6. A história do robozinho verde

O icônico mascote do Android foi criado por Irina Blok, uma designer russa que hoje já não faz parte da companhia. A inspiração para o robozinho verde foram aqueles desenhos que vemos nas portas de banheiros e que distinguem o cômodo destinado às mulheres e homens. A única exigência da companhia para a logo era que fosse um robô.

Respeitando essa exigência, alguns protótipos bastante bizarros (de autoria desconhecida) foram criados. Ainda bem que Blok concebeu o mascote do Android como o conhecemos hoje. Esse desenho, inclusive, pode ser reproduzido e modificado por qualquer pessoa sobre os termos da licença Creative Commons Attribuition 3.0.

7. Melhores aplicativos

Com a avalanche de aplicativos que chegam diariamente à Google Play, fica difícil escolher as melhores alternativas para instalar em seu smartphone, tablet ou smartwatch. Porém, há uma forma muito fácil de descobrir ótimas opções de apps para o Android: basta acompanhar a nossa matéria semanal sobre os melhores apps para Android.

Todas as sextas-feiras, preparamos uma seleção especial com os melhores aplicativos que passaram pela redação do TecMundo e Baixaki. São opções de produtividade, customização, jogos e muito mais. Confira, neste link, todos os episódios já divulgados até hoje.

8. Tunando o Android

Como se não bastasse as dicas de aplicativos, o TecMundo e o Baixaki também ajudam os leitores que querem personalizar a “cara” do Android. Semanalmente, todas as quintas-feiras, produzimos um artigo especial ensinando os leitores a customizar totalmente a aparência do SO da Google, sempre com opções divertidas e criativas.

Já apresentamos uma personalização da Disney, do Naruto, do The Legend of Zelda, de Pokémon, da Seleção Brasileira, dos Simpsons, de Praia, do Minecraft, do Baixaki Jogos e muitos outros. Confira, neste link, todos os episódios já produzidos até hoje.

--

E aí, conhecia todas essas curiosidades e informações interessantes sobre  o sistema operacional do robozinho? Acrescentaria mais alguma coisa? Deixe sua opinião no campo dos comentários!

Cupons de desconto TecMundo: