(Fonte da imagem: Reprodução/The Verge)

A Google pode ter utilizado no Android códigos-fonte da Sun protegidos por direitos autorais. A revelação foi feita nesta semana em tribunal pelo próprio criador do conteúdo, Joshua Bloch, durante o julgamento de um processo que a Oracle move contra a gigante de Mountain View.

Bloch trabalhou na Sun por oito anos antes de se mudar para a Google, em 2004. No tribunal, os advogados da Oracle mantiveram o foco em nove linhas de código específicas, que constituem um método chamado rangeCheck. Essa sequência teria sido escrita por Bloch em 1997 e a Sun apresentou documentos de 2004 nos quais comprova ser a detentora dos direitos autorais.

As mesmas nove linhas de código também estão presentes em um arquivo do Android, chamado Timsort.java, que Bloch escreveu em 2007. Perguntado sobre a possibilidade de ter utilizado as mesmas linhas de comando, Joshua se mostrou pouco convincente. “Eu não me lembro”, destacou.

Entretanto, em outro depoimento prestado em 2011, Bloch afirmou algo um pouco diferente. “A mesma ordem e o mesmo nome de arquivo são prováveis indicadores de eu fiz isso mesmo”, disse. Quando confrontado com essa informação, Bloch pediu desculpas pelo incidente. “É provável que tenha copiado o código da Sun presente no Android, me desculpe se o fiz”, completou.

Independente do resultado do julgamento, as nove linhas de códigos mencionadas no tribunal, e que representam apenas um fato trivial na ação da Oracle contra a Google, foram removidas na versão 4.0 do Android. O julgamento do processo prossegue durante esta semana e não tem previsão de conclusão.

Cupons de desconto TecMundo: