Um anúncio recente no site da Cronologics – uma startup focada no desenvolvimento de smartwatches – mostrou que a Google pode estar levando muito a sério o futuro de seu sistema operacional para vestíveis. De acordo com o comunicado, a Gigante das Buscas resolveu adquirir a microempresa para que seus integrantes possam se juntar ao time de desenvolvimento do Android Wear 2.0.

Com essa ação, a empresa de Mountain View segue os passos de outras aquisições do segmento, como a compra da Pebble pela Fitbit – que procura manter a sua fatia de mercado com relógios inteligentes voltados para o público fitness. A diferença aqui é que os idealizadores da Cronologics são em sua maioria ex-funcionários da própria Google, o que deve dar uma boa ajuda na integração entre as equipes de ambas as companhias.

Bonitos, poderosos e não muito caros

A startup foi fundada em 2014 e seu grande charme foi o lançamento de um smartwatch chamado CoWatch. O brinquedinho é recheado de funcionalidades e tem especificações de ponta, mas, ao mesmo tempo, não exige que o consumidor dê um ou dois rins em troca do aparelho. Para a nova dona do negócio, no entanto, o que realmente deve interessar não é o hardware do dispositivo, mas sim a tecnologia de software por trás dele.

Controles via comando de voz podem ser uma boa adição ao Android Wear

Isso porque a Cronologics, em vez de recorrer a soluções desenvolvidas por terceiros, criou do zero o sistema operacional de seu produto e, de quebra, tornou a plataforma compatível com a assistente virtual da Amazon – a versátil Alexa. Esse tipo de controle por comandos de voz pode ser uma bela pedida para o Android Wear, trazendo certa praticidade aos usuários do programa. Além disso, todas as tecnologias de conectividade do CoWatch, como Bluetooth 4.1 e conexão cloud, podem ajudar a expandir ainda mais a empreitada da Google no setor.

Cupons de desconto TecMundo: