Em uma audiência pública realizada na última quarta-feira (05/08), a Anatel comentou que já bloqueou 5,5 milhões de números IMEI de celulares roubados no Brasil desde 2000, quando a agência começou a realizar esse tipo de registro. José A. Bicalho, superintendente de planejamento e regulamentação da Anatel, foi quem deu a notícia durante a audiência, que buscava encontrar novas formas de desencorajar o roubo de aparelhos.

A ideia é desenvolver um sistema de bloqueio de IMEI mais simples para as vítimas de assalto. Muitas pessoas sequer pedem para suas operadoras bloquearem seus aparelhos perdidos, e muitos dos que tentam realizar o bloqueio não conseguem por não terem mais o código registrado em lugar algum.

Pode ser muito mais que isso

Por conta disso, acredita-se que o número de celulares roubados no Brasil seja muito maior do que 5,5 milhões no acumulado desses 15 anos. De qualquer maneira, atualmente, o bloqueio de IMEI é a melhor forma de desencorajar a prática criminosa no país. “A prestadora registra a identificação dos aparelhos roubados no sistema, e esses terminais não podem mais ser usados na rede, são bloqueados”, comentou Bicalho.

A audiência acabou por definir algumas propostas para melhorar o processo de bloqueio. Uma das medidas a serem tomadas seria desenvolver um sistema que permitisse ao usuário bloquear um aparelho roubado fornecendo apenas o seu número de celular, sendo o IMEI processado a partir do histórico da rede.

Outra ação a ser tomada seria criar uma forma de bloquear grandes quantidades de IMEIs de uma só vez para quando cargas de smartphones são furtadas. Há ainda a necessidade da unificação do sistema de bloqueio entre todas as operadoras e todas as regiões do país. Até o momento, entretanto, não há informações sobre prazos para a implementação de nenhuma dessas medidas.

Cupons de desconto TecMundo: