Aplicativos de streaming ajudaram a popularizar as Smart TVs, mas nem todo mundo adotou os novos modelos. Devido aos preços elevados, muitas pessoas resolveram optar por gadgets alternativos capazes de trazer essas funcionalidades para suas televisões.

Video games, leitores de Blu-ray e até mesmo o Chromecast são opções viáveis adotadas por muitos consumidores. Nesse mercado concorrido, a NewLink resolveu oferecer uma opção diferente que visa trazer todo o sistema Android com seus apps para a TV.

O NewLink TV101 é um adaptador de Android para TV que pode ser facilmente plugado em uma porta HDMI (é necessário usar uma USB ou tomada para ligar o dispositivo) e rapidamente transformar um televisor comum em um aparelho inteligente.

Ele é compacto, traz um hardware razoável, conta com capacidades para se conectar a redes WiFi e vem com controlador USB e leitor de cartões. Basicamente, basta plugar um mouse e aproveitar o melhor do Android na telona. A ideia é boa, mas será que este gadget pode suprir com qualidade as funcionalidades de uma Smart TV?

(Fonte da imagem: Tecmundo/Baixaki)

Aprovado

Portátil e descomplicado

Não há como negar que a ideia deste aparelho é mais do que interessante, afinal, é como ter um Android capaz de funcionar em quase toda televisão que tenha uma porta HDMI. O NewLink TV101 é portátil e muito prático.

Basta plugá-lo na HDMI, conectar o cabo na USB (ou na tomada) e começar a usar. Não é preciso apertar qualquer botão e, logo, você estará na área de trabalho do Android. Este adaptador carrega o sistema em apenas alguns segundos.

(Fonte da imagem: Divulgação/NewLink)

Como não há um controle remoto ou uma tela sensível ao toque (como existe em outros dispositivos com Android), você precisa de um mouse ou de um teclado para navegar. É possível usar periféricos com fio ou sem fio. Em nossos testes, os dois tipos funcionaram.

Android bem recente

Ao ligarmos o produto, pudemos conferir que a fabricante incluiu uma versão bem recente do Android: o sistema Jelly Bean 4.2. O software principal é leve e, conforme esperado, mostra compatibilidade com quase todos os apps da Google Play.

Como estamos tratando de um aparelho sem botões físicos, a fabricante colocou ícones na Barra de Tarefas para regular o nível de volume, alternar entre apps e até para desligar o produto. Há um botão especial que minimiza a barra e garante a utilização do sistema em modo de tela cheia.

A presença do leitor de cartões permite que você conecte o cartão do seu celular para reproduzir fotos e vídeos externos na tela da sua TV. Caso você tenha um adaptador USB OTG (On The Go) é possível adicionar mais uma porta USB e expandir a conectividade.

Curtindo muitos apps

O NewLink TV101 traz os apps-padrão do Android, mas não há o Chrome ou outros softwares mais requisitados. É claro que você pode instalar todos os apps que quiser, afinal este é um sistema Android que conta com um grande acervo de softwares.

A grande vantagem deste dispositivo sobre leitores de Blu-ray ou de Smart TVs é a compatibilidade com inúmeros programas que não existem em plataformas mais básicas. Para nossos testes, instalamos o Netflix, o Telecine Play, o YouTube, o Crackle e programas para redes sociais.

(Fonte da imagem: Tecmundo/Baixaki)

Em nossos testes, o aparelho rodou vídeos desses serviços e ofereceu alta qualidade de imagem graças à saída em 1080p. A navegação na interface dos apps é simples, sendo necessário realizar os mesmos gestos que você faria em uma tela sensível ao toque.

Reprovado

Experiência frustrante

O Android não é um sistema pesado, mas com certeza ele não é tão leve quanto à interface de uma Smart TV. Qualquer tablet ou smartphone que trabalhe na resolução de 1080p acaba necessitando de um bom processador e também de um chip gráfico capaz de dar conta do processamento visual.

Somente ao verificar as especificações do produto, já tínhamos uma ideia de que a configuração de hardware modesta do TV101 não poderia oferecer uma experiência incrível. Acontece que, na prática, os resultados foram piores do que esperávamos.

A navegação na interface é bem lenta. Passear nas telas da área de trabalho, abrir as configurações e alternar entre os apps abertos é algo que exige paciência. Explorar o catálogo do Netflix ou navegar na web também não é algo prazeroso.

(Fonte da imagem: Tecmundo/Baixaki)

Reparamos que há diferenças quando trocamos o mouse (modelos com bolinha e com tecnologia BlueTrack funcionam melhor que dispositivos ópticos convencionais), mas, apesar de a flechinha funcionar bem, a lentidão geral continua.

Parte do problema se deve ao processador de apenas um núcleo, mas é preciso considerar que este gadget não pode manter muitos apps abertos, visto que tem apenas 512 MB de RAM. Depois de abrir quatro ou cinco softwares, é bem provável que o aparelho trave durante alguma transmissão de vídeo ou em outras situações.

Não tivemos a coragem de testar apps de benchmark, até porque um gadget desses não pode ser comparado com smartphones ou outros tablets. Vale notar que, por conta das limitações de interação, este adaptador com Android não serve para rodar jogos ou apps que exijam muitos comandos na tela.

Muitas limitações

O armazenamento interno é de apenas 4 GB. Isto é suficiente para guardar alguns apps, mas não adianta querer colocar muitas fotos ou vídeos. Se a ideia é assistir a filmes digitais, então é melhor instalar um cartão micro SD, visto que, às vezes, alguns poucos clipes em alta definição já extrapolam o limite de armazenamento interno.

O adaptador NewLink TV101 não tem muitas conexões, o que pode ser um problema se considerarmos que o produto não tem um dispositivo de interação e necessita de periféricos externos. Com uma única USB, você deve escolher se deseja usar mouse ou teclado. A conexão OTG até quebra um galho, mas é difícil encontrar o adaptador para esse tipo de conexão.

(Fonte da imagem: Tecmundo/Baixaki)

É possível conectar um hub USB, mas, em nossos testes, o aparelho apresentou problemas após alguns minutos de uso, sendo que a seta do mouse desparece da tela e tanto teclado quanto mouse deixam de responder aos comandos.

Além dessas questões, é preciso ressaltar que o NewLink TV101 não conta com a possibilidade de conexão HDMI via cabo. Caso sua TV tenha entradas de vídeo na parte traseira e ela esteja instalada próxima à parede, você não terá como usar o gadget. Tentamos usar um cabo MHL para enviar o sinal de vídeo à  televisão, mas o produto não tem compatibilidade.

Adaptador WiFi bem fraco

Apesar dos tantos problemas, o que mais nos incomodou foram os problemas de rede. Testamos o NewLink TV101 com diferentes roteadores, redes e conexões de internet. Em todas as situações que preparamos, notamos que o aparelho não consegue ter uma boa recepção de sinal, o que resulta em uma péssima experiência para streaming.

Mesmo estando apenas a 4 ou 5 metros de distância do roteador, o aparelho apresenta lentidão na conexão. Depois de alguns testes, o WiFi até mesmo parou de funcionar, sendo incapaz de baixar ou transmitir dados.

(Fonte da imagem: Tecmundo/Baixaki)

Devido a esses problemas, o adaptador não conseguiu carregar vídeos muito longos, sendo que não foi possível assistir a mais de meia hora de filme no Netflix. No Crackle, muitas vezes o adaptador simplesmente se recusou a armazenar o vídeo em buffer e mostrou apenas uma tela preta. Uma triste história para um gadget tão promissor.

Vale a pena

Se ao menos o NewLink TV101 pudesse reproduzir vídeos sem engasgos, até poderíamos relevar a questão do baixo desempenho e das dificuldades de utilização. Todavia, o produto nos decepcionou em quase todos os sentidos, sendo útil apenas para executar apps em modo offline e desde que poucos softwares sejam utilizados.

Sim, este aparelho consegue rodar o Android e executar alguns apps, mas ele fracassa em quase todas as tarefas. Fica claro que, além do hardware pouco capacitado, o adaptador WiFi de baixa performance certamente é o pior problema, visto que não dá para aproveitar a principal funcionalidade do gadget.

(Fonte da imagem: Tecmundo/Baixaki)

Mesmo custando apenas 250 reais, não recomendamos a compra deste adaptador Android para TV, pois ele não consegue oferecer as mais simples experiências de uma Smart TV. Se você quer rodar o Netflix e o YouTube, com certeza vale mais a pena pagar 200 reais em um leitor de Blu-ray com apps.

Adquirir um celular com MHL, optar por um Chromecast, comprar um Apple TV ou até mesmo investir seu dinheiro em um video game são ideias bem mais sensatas, que certamente oferecerão alguns apps que funcionam sem grandes dificuldades. Quem sabe, se a NewLink lançar uma versão com um hardware de melhor qualidade, podemos ter um bom adaptador no mercado brasileiro.

Este produto foi cedido para análise pela NewLink.

Cupons de desconto TecMundo: