Dois anos após o lançamento do tablet mais vendido em todo o mundo, a Apple voltou aos holofotes para mostrar o novo iPad que marcaria o reinício dos aparelhos. Mesmo com poucas mudanças estruturais, o gadget prometeu uma série de recursos que causam inveja em qualquer concorrente. Mas será que isso tudo vale a pena?

Os tablets já chegaram ao mercado brasileiro, e os preços se iniciam nos R$ 1.549. Confira agora o que pensamos sobre o novo iPad e descubra se o investimento seria uma boa ideia.

Aprovado

Câmera traseira

É lógico que um tablet com quase 10 polegadas não foi planejado para se tornar uma câmera digital. Mesmo assim, no novo iPad, a câmera integrada permite resultados excelentes que não deixam nada a desejar para outros portáteis (smartphones ou tablets). O foco automático funciona muito bem, mas, caso o usuário deseje, ele pode aproveitar a focalização por toque na tela.

(Fonte da imagem: Divulgação/Apple)

A resolução máxima obtida com as fotografias é de 5 megapixels, o que permite ótimos resultados. O iPad ainda não conta com a presença de um flash integrado para iluminar os ambientes, mas possui retroiluminação para fotografias em ambientes mais escuros. Quanto às gravações de vídeo, a resolução Full HD é uma ótima alternativa.

Hardware

Há quem reclame pelo fato de o processador do iPad não ser quad-core, mas a verdade é que o Apple A5X utilizado funciona perfeitamente e oferece resultados muito bons. Em nossos testes, não foi constatado nenhum travamento no aparelho, mesmo quando havia uma grande quantidade de aplicativos rodando em segundo plano.

É possível perceber melhorias gráficas, mas não tão gritantes quanto as que obtivemos comparando o iPad 2 com a primeira geração dos tablets. Mesmo assim, a terceira geração do aparelho mostra evolução e continua prometendo resultados ainda melhores para as próximas versões.

Tela Retina

Você certamente deve ter se impressionado com a tela Retina dos iPhones 4 e 4S. Agora, imagine a mesma qualidade ampliada para uma tela de 9,7 polegadas. O resultado é incrível. Ampliando a resolução do tablet para 2048x1536 pixels, a tecnologia Retina garante muito mais nitidez para fotografias, textos e também aplicativos.

Diferenças do iPad 2 (à esquerda) e o novo iPad (à direita). (Fonte da imagem: Divulgação/Apple)

Quanto à resposta dos toques em tela, o iPad continua sem receber qualquer reclamação. Até mesmo em situações as quais são exigidos comandos mais precisos, o tablet da Apple compreende perfeitamente as ordens do usuário. Isso garante ótimas experiências em games, navegadores e também no teclado virtual integrado ao aparelho.

Pequenas alterações no design

Ao olharmos o novo iPad e o iPad 2 de frente, fica difícil distinguir qual deles é o mais recente. Mas basta colocá-los de lado para que seja possível perceber as diferenças. O novo modelo ficou 0,6 milímetro mais espesso, ficando também cerca de 50 gramas mais pesado. Apesar disso, a curvatura dele ficou mais anatômica, garantindo mais segurança na utilização.

Mesmo com o aumento no peso, não há qualquer dificuldade para quem desejar interagir com os aplicativos enquanto segura o tablet com apenas uma das mãos. O mesmo se diz de games e outros apps que exigem a utilização do acelerômetro ou giroscópio, pois o peso do gadget não atrapalha no desempenho.

Reprovado

Aquecimento acima da média

Vários relatos de sites da imprensa internacional apontavam para um problema de superaquecimento do novo iPad. Em nossos testes, não houve nenhum caso em que fosse impossível continuar com o aparelho em mãos, mas certamente ficou claro o fato de que ele realmente esquenta mais do que a versão anterior.

Câmera frontal

Com a integração da câmera iSight ao iPad, os tablets ficaram com um excelente recurso para as fotografias. O problema é que isso só está presente na câmera traseira, pois a frontal continua sendo uma VGA comum. Por essa razão, em muitas das utilizações ela pode oferecer resultados abaixo do que se espera.

(Fonte da imagem: Divulgação/Apple)

Para mensageiros instantâneos como o Skype, isso não é exatamente um ponto negativo. Por outro lado, caso você queira se divertir e brincar com efeitos do Photo Booth ou então utilizar outros aplicativos que dependem de imagens em tempo real, dificilmente você sairá satisfeito com a qualidade oferecida.

Nada de Siri

Como explicação para a ausência da Siri nos iPhones anteriores ao 4S, a Apple disse que o problema era a incompatibilidade de hardware. Por essa razão, era de esperar     que o novo iPad fosse equipado com a assistente pessoal. Infelizmente, o tablet não conta com esse recurso, o que causa frustração em muitos consumidores.

Menos bateria do que se esperava

A bateria da terceira geração dos iPads está longe de ser ruim, mas é preciso dizer que ela teve o desempenho reduzido em relação à utilizada no aparelho antecessor. Apesar de a navegação e leitura não demandarem um alto consumo de energia, a utilização de aplicativos que exigem mais dos gráficos faz com que a bateria seja gasta mais rapidamente. Isso pode causar a impressão de que ela dura poucas horas.

Vale a pena?

Tela retina, câmera melhorada e hardware poderoso fazem do novo iPad um dos melhores tablets que existem no mercado. Isso somado à loja de aplicativos, que conta com mais 500 mil opções para permitir que qualquer consumidor consiga encontrar o que procura.

Com todos os recursos oferecidos pelo aparelho, certamente o novo iPad é uma escolha excelente para qualquer perfil de utilização: seja para gamers ou para os mais casuais que só querem acessar a internet em qualquer lugar em que estejam. A menos que você possua um iPad 2, a aquisição do novo tablet não é nada equivocada.

Cupons de desconto TecMundo: