Já faz algum tempo que a AMD vem trabalhando para reformular toda sua linha de processadores e parece que a fabricante está cheia de planos para os mais diversos segmentos.

Prova disso é uma patente que foi publicada em junho deste ano no Google Patents. O documento mostra detalhes sobre a produção de um processador com memória interna e lógica reconfigurável.

O componente com FGPA foca especificamente no mercado de servidores, mas se destaca por trazer memória RAM instalada diretamente no composer 2,5D — tal qual vemos nas novas GPUs da série AMD Radeon R9 Fury.

A versatilidade desta APU (sim, este chip também deve contar com processador gráfico) está justamente no fator do FGPA (Field Programmable Gate Array), termo geralmente usado para designar dispositivos capazes de serem reconfigurados para trabalhar com diferentes tipos de tarefas.

É justamente por conta dessa característica que podemos presumir o foco no mercado corporativo. Como se trata de um componente ainda em fase de projeto, não é possível ter certeza sobre o chip gráfico que será usado, tampouco sobre a arquitetura. Entretanto, já é certo que a memória instalada nesse componente será do tipo HBM2.

Alguns sites como o WCCFTech têm cogitado que este componente pode ter alguma relação com os processadores que o Facebook encomendou da AMD (sim, a dona da série Radeon vai fazer chips para os servidores da rede social). Ainda que a fabricante não tenha comentado nada, esta nova tecnologia pode mesmo ser usada para tal finalidade.

Por ora, é preciso tratar todas as informações com cautela, já que a patente não é muito esclarecedora sobre números ou nomes de componentes. Entretanto, considerando o avanço da AMD nessa área corporativa, não é de se descartar hipóteses quanto o reaproveitamento de alguns desses conceitos em futuros chips voltados aos consumidores. O que será que vem por aí?

Você está ansioso para conferir os novos chips AMD Zen? Comente no Fórum do TecMundo

Cupons de desconto TecMundo: