Depois de tantas notícias e artigos, finalmente a AMD lança sua nova linha de APUs. A princípio, apenas os modelos para notebooks serão disponibilizados, sendo que os chips para desktops devem aparecer apenas no terceiro trimestre deste ano.

Apesar de lançar oficialmente a nova série de componentes, até o momento, nenhuma marca disponibilizou notebooks com as novas unidades — a HP tem planos para comercializar novas máquinas em junho. Entretanto, para testes iniciais, a AMD forneceu protótipos aos sites especializados.

Ampliar (Fonte da imagem: Reprodução/AnandTech)

AnandTech e Tom’s Hardware tiveram acesso à máquina e realizaram análises do AMD A10-4600. Aproveitando o embalo dos sites internacionais, oferecemos a você um apanhado geral com os principais resultados dos testes. Será que o novo chip vem para detonar a concorrência?

Um Bulldozer aprimorado!

Qual a diferença entre as APUs da série Llano e da atual Trinity? Acertou quem respondeu Bulldozer. Essa mudança de arquitetura alterou completamente a forma como os chips móveis da AMD trabalham. Enquanto os processadores da linha antecessora operavam com núcleos reais, as novas unidades utilizam os tais módulos apresentados nos componentes da linha FX.

(Fonte da imagem: Divulgação/AMD)

Existem diferenças na memória cache, no Fetch (unidade que recebe os dados), no Decode (unidade de decodificação) e em outros componentes. Segundo o site Tom’s Hardware, o mérito da AMD não foi criar chips mais potentes que os da geração anterior, mas aperfeiçoar a arquitetura de modo a oferecer processamento aprimorado em um chip para notebook!

Os novos processadores para portáteis trazem um controlador de memória aperfeiçoado que suporta trabalhar com até 32 GB de memória DDR3 com frequências de até 1.600 MHz. Como informa o site Tom’s Hardware, o Trinity mais avançado tem capacidade de processamento de 736 gigaflops — bem superior à marca de 572 gigaflops do melhor componente da série Llano.

(Fonte da imagem: Reprodução/AnandTech)

Junto com o lançamento do protótipo, a AMD divulgou as especificações dos chips Trinity para notebooks. Como divulgado pelo portal AnandTech, está claro que a AMD está apostando em processamento gráfico. As GPUs Radeon HD 7500 e HD 7600 que equipam as unidades avançadas devem ser o grande trunfo da nova geração.

Poder de processamento discreto

Como exibido na análise do Tom’s Hardware, em codificação de vídeos, o AMD A10-4600M fica atrás do Intel Core i5-2450M — o site especialista não realizou comparações com modelos da linha Ivy Bridge. Em quase todos os testes, a APU da série Trinity demorou cerca de um minuto a mais que o concorrente para apresentar os resultados finais. Apesar disso, ela demonstrou ser mais rápida do que a antiga A8-3500M.

(Fonte da imagem: Reprodução/Toms Hardware)

Em aplicativos mais básicos que utilizam a aceleração gráfica, o chip da AMD também apresenta resultados inferiores aos do adversário. Isso acontece porque a grande maioria utiliza a tecnologia OpenCL, perfeitamente suportada pela GPU Intel HD Graphics 3000. Em um ou outro software específico, como o WinZip, que dá suporte apenas para APUs da AMD, vemos que o processador leva uma vantagem mínima.

(Fonte da imagem: Reprodução/Toms Hardware)

Quanto aos testes do AnandTech, vemos resultados semelhantes. O interessante da análise deste portal é que podemos conferir algumas comparações diretas com os novos Ivy Bridge. A APU da série Trinity perde feio na briga contra o concorrente mais avançado, porém, apresenta resultados semelhantes ao i7-2637M. Pena que as comparações do AnandTech foram realizadas apenas com softwares de benchmark — inutilizados no dia a dia.

(Fonte da imagem: Reprodução/AnandTech)

A AMD alega que o chip A10-4600M alcança desempenho 29% superior ao A8-3500M — o que de fato é verdade. Como comprovam os testes, a nova geração de APUs da AMD ainda perde em processamento nas comparações com os concorrentes. Até mesmo em alguns aplicativos com computação paralela, o novo modelo não demonstrou poder suficiente. Mas a história não acaba aqui!

Superioridade absoluta em gráficos

Se você ficou decepcionado com os resultados acima, saiba que o AMD Trinity tem uma carta na manga. Quando o assunto é processamento gráfico, podemos dizer que a Intel “come lixo”! Ao menos é o que comprovam os resultados do Tom’s Hardware e da AnandTech.

(Fonte da imagem: Reprodução/Toms Hardware)

Como mostrado pelo site Tom’s Hardware, em resolução superior à HD, com configurações intermediárias e com alguns recursos ativados, o AMD A10-4600M foi capaz de executar The Elder Scrolls V: Skyrim com uma taxa média de 40 fps. O antecessor, A8-3500M, manteve 29,3 fps e, em último lugar, o Intel Core i5-2450M marcou 16,7 quadros por segundo.

(Fonte da imagem: Reprodução/Toms Hardware)

Quando executado o game Crysis 2 em resolução 1024x600 pixels, a unidade Trinity foi a única capaz de manter uma taxa acima de 30 fps. O processador concorrente ficou próximo de 13 fps.

(Fonte da imagem: Reprodução/Toms Hardware)

Em DiRT 3, com resolução de 1600x900 pixels, vemos o A10-4600M atingindo 34,7 quadros, enquanto o chip da Intel sofre atingindo a marca de 23,2 fps.

(Fonte da imagem: Reprodução/AnandTech)

Na análise do AnandTech, a nova APU da AMD conseguiu superar todos os concorrentes no jogo Civilization V. Vale salientar que a análise deste portal foi um pouco injusta nas comparações de games, visto que outros computadores contavam com chips gráficos a parte. De qualquer forma, ficou claro que o processador gráfico do A10-4600M é muito mais potente do que os dos chips Intel HD Graphics 4000 e 3000.

Economia de bateria é importante!

Por fim, mas não menos importante, devemos comentar sobre o consumo das novas APUs da AMD. A companhia decidiu adentrar ao mercado de ultrabooks, o que é um importante passo, mas é um movimento que exigiu uma arquitetura evoluída o suficiente para aquecer pouco e economizar bateria.

(Fonte da imagem: Reprodução/Toms Hardware)

De acordo com as medições do site Tom’s Hardware, a APU A10-4600M tem potencial para economizar mais bateria do que o i5-2450M. Em jogos, a unidade da AMD regula e economiza energia o suficiente para oferecer mais tempo de bateria, mas sem deixar de fornecer alto desempenho nos títulos mais recentes.

Quanto à navegação na web, o chip da AMD empata com o concorrente, o que não deixa de ser um bom resultado. Já na reprodução de vídeos em 1080p, a Intel leva a melhor e oferece mais bateria ao utilizador. Apesar disso, devemos ter em mente que a Radeon HD 7660G garante mais qualidade e novas tecnologias.

(Fonte da imagem: Reprodução/AnandTech)

As conclusões do AnandTech diferem um pouco, mas mostram bons resultados para o Trinity. O novo processador apresenta ótimo gerenciamento para o uso da internet e quando ocioso. Apesar de não divulgar um gráfico, o portal concluiu que, para jogos, o processador tem resultados semelhantes aos dos concorrentes. Novamente, o A10-4600M não está entre os melhores para reprodução de vídeo.

A AMD acertou na mosca!

Dito tudo isso, fica claro que a AMD realizou um bom trabalho com sua nova linha de APUs. Apesar de as análises tratarem de um protótipo, os resultados deixam claro que a unidade tem capacidade para enfrentar os modelos Sandy e Ivy Bridge. Os sites especialistas concluíram que o poder de processamento gráfico está muito superior.

(Fonte da imagem: Divulgação/AMD)

Além disso, a economia de energia é um ponto a favor das novas APUs. Apesar de perder em processamento geral, os novos chips não decepcionaram, mostrando que os núcleos Piledriver podem fazer bonito nas plataformas móveis. Resta saber como serão os preços das máquinas equipadas com os novos componentes. Ao que tudo indica, a Intel pode ter problemas na venda de notebooks e ultrabooks.

Fontes de pesquisa: Tom’s Hardware, AnandTech

Cupons de desconto TecMundo: