Exemplo da planilha que "atacou" a Amazon. (Fonte da imagem: Reprodução/Behind The Enemy Lines)

Professor da Universidade de Nova York, Panos Iperiotis mantinha uma conta no Amazon Web Services, a plataforma de computação em nuvem do site de comércio online. No último mês, a conta, que costuma ser de até US$ 100, chegou com o valor de US$ 1.177 (cerca de R$ 2.200).

Antes de se desesperar, ele pensou um pouco e chegou à raiz do problema: de forma totalmente acidental, Iperiotis descobriu uma nova forma de ataque a servidores que sobrecarrega e inutiliza conteúdos, tudo usando apenas um pouco de tempo e o Google Docs.

Foi sem querer!

Tudo começou quando o professor, ao realizar um experimento de marketing, criou uma planilha no serviço da Google com 25 mil imagens de produtos à venda na Amazon e pediu para outras pessoas descreverem o que viam.

O problema é que as fotos estavam hospedadas nos servidores da Amazon e foram alvos de uma peculiaridade da Google, que faz o download delas todas as vezes que alguém acessa a planilha, para que não seja necessário hospedar arquivos em seu próprio espaço de armazenamento. Com os acessos à planilha, vários GBs foram movimentados na conta em nuvem de Iperiotis, que começou a sobrecarregar o site e roubar banda das outras pessoas que tentavam acessar os produtos.

Ao descobrir o problema, o professor postou o caso em um blog e entrou em contato com a Amazon, que retirou quase toda a taxa cobrada por engano. A Google ainda não se pronunciou sobre o assunto, mas Iperiotis sugere que a empresa mude a maneira de direcionar imagens e endereços, já que essa ação, se mal intencionada, pode trazer problemas a páginas menores.

Fonte: Behind The Enemy Lines

Cupons de desconto TecMundo: