A Continental e a nipônica NTT DOCOMO estão trabalhando juntas na pesquisa e desenvolvimento da conectividade 5G para veículos. As duas empresas estão de olho no que está sendo considerado o pilar fundamental para que os automóveis do futuro possam se comunicar entre si e também com infraestruturas, parte do conceito V2X e também da Internet das Coisas.

O projeto já foi demonstrado em dois eventos separados que aconteceram no Japão: o Automotive Engineering Exposition 2017 e o Wireless Japan Expo, nas quais as duas companhias apresentaram um protótipo da tecnologia de comunicações móveis 5G. Tudo, é claro, está em estágio inicial, mas é um passo importante para antecipar um futuro que, ao que tudo indica, é irreversível.

 “Conectar veículos está no topo da nossa agenda”, disse Johan Hiebl, chefe da unidade de negócios da Continental para informação, entretenimento e conectividade. “Mas para explorar os benefícios do veículo conectado, precisamos de largura de banda, velocidade e tempos de resposta rápidos que virão nas redes celulares do futuro”. A velocidade da rede 5G pode chegar a 10 GBPS e uma latência que pode chegar apenas 1 ms.

O conhecimento da rede 5G vem da NTT DOCOMO, enquanto a Continental fica encarregada de encontrar uma forma de inserir isso no contexto da indústria automotiva. A expectativa é que ela já esteja disponível em 2022.

A ideia é que a conectividade permita que o carro receba e envie dados a partir da nuvem, que ajudarão a fazer com que a condução seja mais eficiente – um exemplo é o envio de alertas de objetos na pista, de possíveis incidentes ou de mudanças no trânsito – parte de um dos sistemas desenvolvidos pela Continental, o e-Horizon –, que vão para a nuvem e de lá são distribuídos para outros veículos que estarão andando pela mesma área.

Cupons de desconto TecMundo: