Tivemos diversos vazamentos de informações “famosos” nos últimos anos, como as publicações do site WikiLeaks, as revelações feitas pelo analista Edward Snowden, as invasões aos servidores da Sony e ao email de Hillary Clinton, apenas para citar alguns exemplos. No entanto, isso não parece ter deixado a população americana mais cautelosa em relação à preservação de suas informações pessoais.

É o que revela uma pesquisa publicada recente pelo app de gerenciamento de senhas LastPass, que indica que 95% da população dos Estados Unidos divide entre uma e seis chaves de acesso com familiares e amigos. O curioso dessa informação é que 73% dos entrevistados admitem que possam estar correndo um risco ao fazer isso, mas o fazem mesmo assim.

Na relação de códigos que mais são compartilhados estão as senhas da rede Wi-Fi doméstica, do Netflix e de outros serviços de streaming. Você deve estar pensando que dividir essas informações com pessoas de confiança como a própria família ou amigos aparentemente não deveria ser um problema real. Isso seria verdade se não fosse por outro dado levantado na pesquisa: cerca de 59% dos entrevistados reutiliza as mesmas senhas para múltiplas finalidades, incluindo informações bancárias.

“Quase todos os aspectos de nossas vidas possuem algum componente online e quando você traz o compartilhamento de senhas para essa mistura, todas as informações sensíveis estão instantaneamente comprometidas”, afirma o vice-presidente da LastPass, Joe Siegrist. Por isso, é importante alterar senhas de emails ou outros serviços com informações pessoais com certa frequência, evitar usar o mesmo código em vários lugares diferentes e, se possível, usar programas de gerenciamento para esses dados.

Você compartilha muitas senhas pessoais com os seus amigos ou familiares? Acha que corre algum risco ao fazer isso? Comente no Fórum do TecMundo