Análise: Nokia Lumia 620

Conferimos em detalhes todas as funcionalidades do Lumia 620, um smartphone com poder de fogo intermediário, mas que atende as necessidades da maioria dos consumidores.
  • Visualizações202.563 visualizações
Por Wikerson Landim em 11 de Abril de 2013

Para quem quer um smartphone com o Windows Phone 8, os modelos Lumia 920 e Lumia 820 estão entre os principais sonhos dos consumidores. Entretanto, a faixa de preço acima de R$ 1.000 pode ser proibitiva para muitas pessoas – e, na verdade, nem todos precisam ou querem ter último celular do momento em suas mãos.

Entre as alternativas intermediárias do mercado, uma das apostas da Nokia para os seus consumidores é o Lumia 620. Com processador Qualcomm Snapdragon dual-core de 1 GHz e 512 MB de RAM, o modelo tem preço sugerido de R$ 899 para as lojas nacionais, o suficiente para colocá-lo lado a lado com outros bons aparelhos e ainda assim apresentar uma boa relação custo-benefício.

Analisamos todas as características do Nokia Lumia 620, e as nossas impressões sobre ele são o que você confere neste artigo. Será que vale a pena investir o seu dinheiro neste modelo?

Análise: Nokia Lumia 620

Aprovado

Desempenho

Análise: Nokia Lumia 620 (Fonte da imagem: Baixaki/Tecmundo)

Um aparelho que não vai deixar você na mão. Essa é a sensação que você terá ao manusear o smartphone Lumia 620. Em termos de desempenho, o sistema operacional Windows Phone 8 se sai muito bem com o hardware disponível e nem mesmo a pouca quantidade de memória RAM – apenas 512 MB – é um empecilho.

A transição entre as telas é fluída, e o usuário vai perceber queda na qualidade mesmo somente em jogos que exijam um pouco mais do poder do processador e da GPU. Em casos como esses, fica nítida a queda no número de quadros por segundo em prol de um desempenho mais estável.

Design de construção

Análise: Nokia Lumia 620 (Fonte da imagem: Baixaki/Tecmundo)

Leve e perfeitamente anatômico, ter o Lumia 620 em mãos é uma experiência bastante agradável. Seu tamanho reduzido – a tela tem 3,8 polegadas – faz com que seja fácil alcançar com os dedos qualquer um dos extremos da tela, garantindo um manuseio seguro e prático. A parte traseira, destacável, é lisa e fosca, o que evita marcas de digitais.

Mesmo pesando apenas 127 gramas, a sensação que se tem é a de um aparelho consistente e robusto, que não vai se despedaçar na primeira queda. As laterais curvas também garantem uma pegada anatômica. Na parte frontal, as bordas na cor da carcaça traseira acabam se sobressaindo, mas não chegam a incomodar o usuário.

Resolução de tela

Análise: Nokia Lumia 620 (Fonte da imagem: Baixaki/Tecmundo)

Em um primeiro momento, pode parecer que resolução de tela de 800x480 pixels não é suficiente sequer para um modelo intermediário de smartphone. Entretanto, no caso do Lumia 620 ela é mais do que suficiente, em especial por conta do tamanho reduzido de tela – 3,8 polegadas.

Isso faz com que o aparelho tenha uma densidade de pixels de 246 ppi, maior que a do recém-lançado Lumia 520, que é de 233 ppi, e maior até mesmo do que a dos modelos Lumia 720 e Lumia 820, que têm densidade de pixel de 217 ppi. Pesa contra a tela o fato de que o display não possui tecnologia IPS.

Bateria: nada além do esperado

Análise: Nokia Lumia 620 (Fonte da imagem: Baixaki/Tecmundo)

Com uma bateria de 1.300 mAh, o Lumia 620 não surpreende em nada nesse quesito, mas cumpre com eficiência a sua proposta. Em nossos testes, em uso excessivo (assistindo a vídeos seguidamente e executando jogos mais pesados), a bateria foi capaz de suportar 4 horas e 7 minutos, tempo que o coloca na média de outros modelos similares.

Já para um uso mais moderado, WiFi e 3G conectados e acesso às redes sociais algumas vezes por dia, a bateria foi capaz de suportar pelo menos 15 horas – o tempo ideal para aqueles que saem de casa de manhã para o trabalho e voltam só no final do dia. Se ela não impressiona, por outro lado não decepciona, cumprindo um ciclo que está dentro do esperado.

Câmera apenas funcional

Análise: Nokia Lumia 620Fotos tiradas com o Lumia 620. (Fonte da imagem: Baixaki/Tecmundo)

Um dos diferenciais bastante propagados pela Nokia com o Lumia 920 é a qualidade da sua câmera. De fato, pudemos comprovar em nossa análise que ela é mesmo uma das melhores disponíveis na atualidade. Entretanto, com o Lumia 620 a situação é um pouco diferente e em momento algum a câmera nos deixou encantados.

Obviamente, estamos falando de um celular intermediário e, neste caso, as pequenas falhas são perdoáveis. Nas fotos durante o dia, percebemos algumas variações de tom nas cores, enquanto nas fotos noturnas percebemos um nível alto de ruído. Entretanto, não é nada que impeça o consumidor de usar a sua câmera no dia a dia para fotos convencionais.

Relação custo-benefício

Análise: Nokia Lumia 620 (Fonte da imagem: Baixaki/Tecmundo)

Graças ao controle sobre o hardware que a Microsoft mantém sobre os seus produtos, mesmo um smartphone com configuração intermediária, como no caso do Lumia 620, é capaz de cumprir com louvor todas as funções que disponibiliza. Dessa forma, o consumidor tem a garantia de que um celular mais em conta também poderá suprir as suas necessidades.

Custando R$ 899 segundo o site oficial da Nokia (em algumas lojas, é possível encontrar o produto por preços menores), o aparelho não deixa a desejar em nada se comparado aos concorrentes quando levamos em consideração o preço cobrado e o que ele oferece.

Capas intercambiáveis

Análise: Nokia Lumia 620 (Fonte da imagem: Baixaki/Tecmundo)

Outro diferencial do aparelho que pode agradar a muita gente é a possibilidade de trocar as capas do produto. A parte traseira do smartphone é removível e, por conta disso, você pode substituir a sua capa original por outra, mantendo o visual do aparelho e fazendo com que ele possa “combinar” com várias ocasiões.

No total, são sete as cores disponíveis: preta, azul, verde, rosa, laranja, branca e amarela. O seu smartphone vem apenas com a capa original, mas se você desejar pode comprar à parte capas de outras cores. Um detalhe estético simples, mas que agrega valor e capacidade de personalização ao produto.

Reprovado

Ecossistema ainda tem menos opções

Análise: Nokia Lumia 620

Infelizmente, o número de aplicativos disponíveis para o Windows Phone 8 ainda é consideravelmente menor do que a quantidade existente nos sistema operacionais iOS e Android. Entretanto, a tendência é que essa diferença mude com o passar do tempo e com o aumento do número de pessoas que utilizam a plataforma.

Em um smartphone intermediário, o problema do número menor de aplicativos tem menos impacto no uso do consumidor final, uma vez que a demanda por aplicativos pesados ou por “killer apps” (apps que fazem a diferença) é menor. Ainda assim, numa comparação direta com o Android, o real concorrente da Microsoft nessa faixa de preço, alguns consumidores podem se sentir tentados a embarcar em um aparelho com o sistema operacional da Google.

Vale ressaltar que, apesar do menor número de apps, você ainda assim conta com muitas opções de aplicativos, e que devem suprir todas as suas necessidades básicas. Contudo, ao menos no momento, o Windows Phone 8 ainda não é prioridade para a maioria dos desenvolvedores, então se acostume a esperar um pouco mais pelos grandes lançamentos.

Fones de ouvido fracos

Análise: Nokia Lumia 620 (Fonte da imagem: Baixaki/Tecmundo)

Se levarmos em consideração que estamos falando de um modelo intermediário, não há motivos para exigir muito dos fones de ouvido que acompanham o produto. Entretanto, se você é um consumidor que gosta de fica atento à qualidade de áudio das suas músicas, certamente vai se decepcionar com o fone de ouvido da Nokia.

Os níveis de volume são baixos e a sua potência não é das melhores. Ao ultrapassar o limiar de som máximo sugerido pelo aparelho (21 pontos de 30 de volume), você perceberá que ainda assim o som está baixo e apagado. Não é nada que decepcione a maioria dos consumidores, mas os mais exigentes vão precisar procurar outro fone de ouvido caso queiram ter uma experiência mais satisfatória.

Vale a pena?

Entre todos os aparelhos disponibilizados pela Nokia no mercado brasileiro, talvez o Lumia 620 seja o que apresente a melhor relação custo-benefício para o consumidor. Comercializado por R$ 899 (preço oficial) – em algumas lojas chegamos a encontrá-lo por R$ 799 , o aparelho se revela uma escolha interessante para aqueles que não necessitam de um smartphone top de linha.

A otimização de software proposta pela Microsoft com o Windows Phone 8 faz com que mesmo o hardware menos “chamativo” do Lumia 620 consiga desempenhar com naturalidade todas as suas funções, inclusive as realizadas pelos aplicativos que requerem um pouco mais da capacidade de processamento do aparelho.

O design de construção, com as suas capas intercambiáveis, é um dos pontos de destaque do produto, que alia leveza com resistência, resultando em um modelo anatômico e de fácil manuseio. Com resolução de tela adequada e bateria compatível com o uso diário do consumidor cujo perfil é o de compra de um smartphone intermediário, o Lumia 620 se revela uma grata surpresa.

Se você busca um modelo com Windows Phone 8 para iniciar no mundo dos smartphones, essa é certamente a escolha correta. Para aqueles que querem aplicativos em grande quantidade, ainda há outras opções mais adequadas, mas nem por isso o Lumia 620 se torna uma opção secundária. Ponto positivo para a Nokia.



Viu algum erro ou gostaria de adicionar uma sugestão para atualizarmos esta matéria?
Colabore com o autor clicando aqui!