Foram vários meses de rumores e expectativas, mas finalmente ocorreu o anúncio oficial dos novos smartphones produzidos pela Apple. Você já sabe que estamos falando dos mais novos iPhones 6 e 6 Plus, que devem agitar o mercado internacional nos próximos meses — junto com o relógio Apple Watch. E além das novas dimensões de telas, o que há de interessante nos smartphones mostrados pela equipe de Tim Cook?

Vamos conferir agora mesmo quais são as novidades trazidas para eles? Fique atento para descobrir todas as mudanças que a Apple aplicou no aparelho em relação aos modelos que já estavam no mercado. Será que elas serão capazes de fazer com que os iPhones repitam o sucesso comercial das gerações anteriores ou o reinado da Apple está ameaçado? É o que vamos descobrir agora mesmo.

iPhone 6

A “evolução natural” do iPhone 5S traz recursos que condizem bastante com a escala que já vinha sendo trilhada pela Apple. Depois de dois anos com telas de 4 polegadas, o iPhone 6 agora oferece 4,7 polegadas aos consumidores — ficando mais próximo das 5” que são oferecidas por muitos concorrentes com Android, mas ainda não é capaz de causar tanta estranheza por parte dos clientes mais fieis.

Para manter a qualidade das imagens exibidas e aplicativos executados no aparelho, a resolução também foi aumentada e agora é de 1334x750 pixels, o que deve ser suficiente para exibir conteúdos com alto desempenho — mesmo estando abaixo dos padrões Full HD de diversos dispositivos.

Ao contrário do que era esperado por grande parte dos consumidores e veículos da imprensa especializada, o iPhone 6 não foi anunciado com tela Sapphire — que deveria oferecer mais resistência contra arranhões e impactos.  O que foi revelado pela fabricante foi um sistema chamado “Retina HD” com display ionizado para maior resistência.

Design

A estrutura do novo iPhone é bem similar à presente no iPhone 5S. Desde a carcaça externa até os botões laterais e “Home” estão com os mesmos traços já vistos anteriormente. É claro que houve um pequeno aumento neles, uma vez que as telas foram aumentadas também. Mas é preciso dizer que os aparelhos mantiveram as mesmas características sóbrias do iPhone 5S.

Hardware

As novidades não ficam apenas nas telas dos iPhones. Muito foi mostrado também no interior dos aparelhos, pois a fabricante sabe que é mais do que necessário evoluir os dispositivos para continuar no topo. O grande destaque desta vez fica no processador Apple A8 dual-core (64 bits) com clock de 2 GHz — uma grande melhoria em relação à geração passada dos chips de controle central.

Estamos falando de um chip que utilizada 2 bilhões de transistores, com processos de apenas 20 nanômetros e que chega ao mercado com 13% a menos de tamanho do que o A7. Isso tudo pode garantir até 25% mais desempenho no processamento comum e 50% mais velocidade nos gráficos — a fabricante afirma que são 84 vezes mais velocidade do que o iPhone original lançado em 2007.

Assim como existia um coprocessador M7 na versão anterior, o Apple A8 também traz o M8 para garantir melhores resultados em diversas funções. Ele é capaz de identificar uma série de movimentos dos consumidores, o que garante muito mais precisão em medições de elevação e distância para os aplicativos de saúde e fitness. É importante citar o barômetro presente no M8, pois ele é capaz de medir elevações com muito mais precisão e ainda identifica a atividade física que está sendo desempenhada.

Memória e conectividade

Os mesmos itens de conectividade trazidos na versão anterior chegaram também aos novos iPhones — estamos falando de 3G, 4G, Bluetooth e WiFi. A diferença está na capacidade do 4G LTE, que agora suporta até 20 bandas diferentes — mais do que qualquer outro concorrente atualmente no mercado.

Quanto à memória RAM, o iPhone 6 traz a mesma quantidade da versão 5S: 1 GB.  Uma das grandes diferenças está na capacidade de armazenamento, uma vez que os novos aparelhos oferecem a opção de 128 GB para os consumidores — além das tradicionais 16 GB e 64 GB, sendo que a versão intermediária de 32 GB foi extinta pela Apple.

Câmera

Os iPhones são sempre ótimas opções para os apaixonados por fotografia casual. Sabendo disso, a Apple não poupa esforços para instalar câmeras digitais de alta qualidade nos seus smartphones. Não se deixe enganar pela resolução máxima: o iPhone 6 traz os mesmos 8 megapixels que já são vistos desde o iPhone 4S, mas é no processador, no sensor e nos recursos adicionais que estão os segredos do dispositivo.

Com novos métodos de estabilização óptica das imagens, o aparelho consegue aproveitar o máximo do processador para conseguir ainda mais velocidade e melhores resultados nas fotografias capturadas. Há também grandes modificações no sistema de pós-processamento, que devem resultar em fotografias com menos ruídos e interferências.

Alguns dos principais recursos são o flash True Tone — que garante menos reflexões na pele das pessoas fotografadas —e a abertura de f/2.2. Quanto ao já mencionado sensor, ele chega com uma grande novidade chamada “Focus Pixels”. Isso deve garantir o dobro de velocidade para o foco automático. Fotografias panorâmicas podem ter até 43 megapixels.

Esses recursos também devem melhorar a gravação de vídeos, que podem ser realizadas em até 1080p. O iPhone 6 também ganhou um sistema de estabilização mais potente para os vídeos e agora oferece possibilidades de gravação em câmera lenta com até 240 quadros por segundo — com resoluções menores, pois o 1080p é limitado às gravações em 30 fps e 60 fps.

iPhone 6 Plus

Praticamente tudo o que foi mostrado no iPhone 6 também está presente no iPhone 6 Plus. Os recursos de hardware são praticamente os mesmos, com exceção da tela trazida pelo modelo maior. São 5,5 polegadas e resolução Full HD, sendo que isso também traz alguns recursos diferentes para os consumidores.

Com o iPhone 6 Plus, é possível utilizar o smartphone de uma forma mais parecida com o que é oferecido pelos iPads mini, principalmente quanto o teclado está ativo na tela do aparelho. Também foi trazido um novo recurso chamado “Reachabilit”. Com ele, basta clicar duas vezes sobre o botão “Home” para que os botões que estão no alto da tela sejam trazidos para baixo e o dispositivo continue sendo usado com apenas uma mão.

Recursos adicionais

Pouco foi mostrado além do que já era esperado. Não há grandes recursos que não estavam presentes nas versões anteriores do iPhone — o que inclui o Touch ID e os recursos de câmera. Tudo o que já havia sido prometido para o iOS 8 foi demonstrado novamente na apresentação dos novos iPhones. 

Além disso, a fabricante também mostrou o novo Apple Pay, que trará novas formas de pagamento para os consumidores que não gostam de carregar dinheiro no bolso. Cadastrando cartões de crédito, o sistema poderá ser usado para transferências bancárias e pagamentos diversos por meio de conectividade NFC — não sendo limitado aos pagamentos virtuais.

Outro recurso que foi exibido pela Apple foi o Metal — o mesmo motor gráfico que já havia sido exibido em junho. Nas demonstrações do evento de hoje, ficou mais do que evidente que isso pode gerar resultados incríveis para os consumidores dos novos iPhones, que terão games incríveis na ponta de seus dedos.

Quando vão chegar ao mercado?

Tanto o iPhone 6 quanto o iPhone 6 Plus vão chegar ao mercado norte-americano no dia 19 setembro, sendo que as pré-vendas começam já nesta sexta-feira (12 de setembro). Por enquanto, só há informações sobre os preços cobrados pelas versões com contratos, sendo que o aparelho mais básico (iPhone 6 de 16 GB) será vendido por US$ 199. Confira abaixo todos os preços:

iPhone 6

  • 16 GB: US$ 199
  • 64 GB: US$ 299
  • 128 GB:  US$ 399

iPhone 6 Plus

  • 16 GB: US$ 299
  • 64 GB: US$ 399
  • 128 GB: US$ 499

Vale dizer que os iPhones 4S deixam de ser oferecidos pela fabricante e agora o modelo mais simples disponível no mercado é o iPhone 5C. Ele será distribuído gratuitamente nos contratos com as operadoras norte-americanas, enquanto o 5S será vendido a partir de US$ 99. Não há informações sobre os valores com que eles chegarão ao mercado brasileiro.