Quem aposta no computador como plataforma de jogos sempre fica preocupado se a máquina tem desempenho suficiente para rodar aquele jogão novo com altíssima qualidade.

Diferente dos componentes instalados nos consoles, nem todos os chips gráficos que equipam os PCs estão preparados para entregar a melhor experiência.

O que acontece é que, em geral, o jogador acaba precisando de uma placa de vídeo top de linha para rodar tudo com tranquilidade. Entretanto, há uma solução interessante para melhorar os gráficos sem ter que investir valores absurdos no computador.

Uma das melhores ideias é combinar duas ou mais placas de vídeo e, dessa forma, ampliar a performance da máquina. A tecnologia AMD CrossFireX é uma das mais acessíveis e interessantes nesse sentido.

A fabricante mandou duas placas de vídeo equipadas com o novo chip gráfico R9 380X para testarmos o recurso com vários games modernos. A gente rodou as duas em conjunto e também uma única placa sozinha para ver as diferenças de performance, consumo e temperatura. Será que temos aqui uma solução definitiva para todos os jogos?

Especificações da R9 380X

  • Processadores Stream: 2.048
  • Clock da GPU: 1.020 MHz
  • Memória: 4 GB GDDR5
  • Clock da Memória: 1.475 MHz (5.900 MHz)
  • Interface da memória: 256 bits

Instalação do CrossFireX

Vamos começar do começo. As novas placas de vídeo da AMD usam um novo sistema interno que facilita a configuração dos componentes em modo CrossFireX. Diferente de produtos concorrentes e até mesmo de outras placas mais antigas da AMD, agora não é mais preciso usar "pontes" para que as placas trabalhem em conjunto.

Basta conectar as peças nos slots PCI-Express, plugar os cabos de energia e ligar o PC. A comunicação entre elas é feita pelo barramento, e só é necessário ativar uma opção no AMD Radeon Software. É válido notar que as opções de CrossFire ficam um pouco escondidas. Após a mudança para a nova interface, a AMD acabou deixando algumas opções no app antigo.

Se você está montando um sistema com múltiplas placas AMD e quer saber como fazer, é só seguir esta dica: acesse a aba "Monitor" (Display) e clique em "Opções Avançadas". No painel que será aberto na sequência, clique em "AMD CrossFire" e ative a opção. Depois de configurar esta função, as duas placas passam a funcionar em conjunto em todos os apps e jogos.

Funcionamento do CrossFireX

A tecnologia CrossFireX combina o desempenho e as memórias das placas de vídeo. Ao usar esse sistema, os jogos podem enviar diferentes tarefas para cada placa. A carga de atividades nem sempre é dividida de forma igual, então pode acontecer de uma placa ser mais requisitada do que a outra.

No geral, as placas tendem a dividir as tarefas, o que leva ao aceleramento na renderização de cada quadro e, dessa forma, a uma performance superior, já que mais frames serão processados num mesmo período.

Combinar duas placas quer dizer que você tem o dobro de desempenho? Não necessariamente, pois o aumento na performance não depende apenas das placas, mas também do software, que deve saber como dividir as tarefas e usar as placas. Todavia, não podemos dizer que isso é impossível, pois em alguns cenários podemos ver um ganho de quase 100%.

Devemos ressaltar ainda que nem todos os softwares e jogos são compatíveis com essa tecnologia (e isso vale até mesmo para games mais recentes, como Ashes of Singularity). Assim, não adianta esperar uma melhora significativa em todos os jogos, pois em alguns casos ela pode ser quase nula.

Nossos testes

Configuração da máquina

  • Sistema: Windows 10 Pro
  • Processador: Intel Core i7-6700K
  • Placa-mãe: GIGABYTE Z170X G1 Gaming
  • Memória RAM: 16 GB Corsair Vengeance DDR4 2.133 MHz
  • Armazenamento: SSD Corsair Neutron XT 240 GB / HD Seagate Barracuda 3 TB
  • Fonte: Corsair RM1000

Jogos

Batman

Aproveitando a atualização recém-lançada pela Warner, nós finalmente podemos rodar testes de desempenho com o novo jogo da franquia Batman. O game abusa do poder do chip gráfico, colocando o componente sob grande estresse e testando a máquina com vários filtros e efeitos.

É importante salientar que este jogo é um dos casos em que configurações de múltiplas placas não representam melhorias significativas. Vários usuários na internet já reportaram problemas diversos, então você não pode esperar uma performance absurda com o CrossFireX.

Como você pode conferir acima, nossa combinação de placas apresentou resultados abaixo do que é obtido com uma única placa GeForce GTX 970. Além disso, se comparada ao teste de uma única Radeon R9 380X, a configuração CrossFireX só mostrou um ganho de 5 frames.

F1 2015

Com o amadurecimento da série F1, a Codemasters conseguiu polir os gráficos do mais novo título, garantindo bom aproveitamento dos recursos de hardware e entregando visuais estonteantes com o DirectX 11.

O F1 2015, contudo, não representa um grande desafio para a placa de vídeo (ainda mais modelos robustos como a R9 380X). Assim, nós rodamos os testes mais por motivos de curiosidade e para averiguar qual seria o ganho em desempenho.

As pontuações obtidas no F1 2015 provaram que o jogo não é um excelente título para o uso do CrossFireX. Conseguimos um ganho de 34 frames por segundo usando duas placas de vídeo, mas os resultados dessa combinação ainda ficaram abaixo de outras placas, incluindo a GeForce GTX 970.

Grand Theft Auto V

Um dos mais famosos jogos da atualidade é também um dos mais exigentes. O GTA V conta com uma quantidade absurda de detalhes que colocam muitas placas de vídeo robustas sob grande estresse. Até mesmo modelos como a GTX 970 podem apresentar algumas quedas de desempenho.

A Radeon R9 380X não é a mais recomendada para rodar o game em resolução Full HD com taxa de frames acima dos 30 fps, por isso o teste com CrossFireX se mostra muito válido.

O resultado do Grand Theft Auto V foi surpreendente. O jogo rodou acima de 30 frames por segundo, o que é muito legal se a gente pensar que colocamos todos os gráficos em configuração máxima. O ganho de desempenho sobre uma única R9 380X é promissor, chegando a quase 50%, mas o empate técnico com a GTX 970 mostra que talvez o CrossFireX não seja a melhor aposta aqui.

GRID Autosport

O mais recente título da série GRID não é tão exigente como determinados jogos de corrida, porém ele conta com um benchmark bem longo que permite analisar perfeitamente a capacidade da placa de vídeo. Nós já sabíamos que placas intermediárias davam conta do jogo, então podíamos supor que a R9 380X sozinha já daria conta do recado.

No caso deste jogo, a configuração CrossFire ajuda um pouco, mas não apresenta resultados que realmente indiquem a necessidade de uma placa adicional. Como você pode ver acima, até mesmo uma única GTX 970 pode se sair melhor do que as duas placas combinadas. Aparentemente, o jogo é um dos que não vem otimizado para sistemas de múltiplas GPUs.

Hitman Absolution

Apesar de ser um jogo de 2013, Hitman: Absolution ainda serve perfeitamente para verificações com tecnologias mais recentes, já que sua engine abusa do poder de processamento e trabalha com o DirectX 11.

Os resultados são frutos do benchmark próprio do game e são absulotamente apropriados para um comparativo, ainda mais no caso de uma combinação de múltiplas placas, pois assim podemos conferir os ganhos em um jogo que consome muitos recursos.

Neste jogo, a solução CrossFireX aprensentou resultados excelentes, chegando a alcançar quase o dobro de performance. Vale notar que rodamos o jogo na resolução Full HD, portanto a configuração se provou muito preparada. As pontuações mostram que duas placas R9 380X dessas podem produzir mais frames do que uma GeForce GTX 980 e do que a Radeon Fury X neste jogo.

Metro Last Light Redux

Metro: Last Light aproveita o poder das GPUs modernas para trazer gráficos excelentes, texturas em alta definição e muita destruição com efeitos especiais incríveis. O game é construído com a engine 4A e também é uma excelente prova de fogo para placas mais robustas.

O benchmark do título já se mostra desafiador para placas intermediárias (como a GTX 960 e a R9 380), então o teste com a configuração CrossFire realmente nos deixou curiosos.

Os resultados com o jogo Metro Last Light Redux foram realmente surpreendentes. A combinação de duas placas gráficas em modo CrossFireX conseguiu dobrar o desempenho (lembrando que o teste é executado três vezes, garantindo maior precisão nos resultados).

Middle Earth: Shadow of Mordor

Um dos jogos de maior sucesso dos últmos tempos é também um ótimo título para teste de poder gráfico. Baseado na série Senhor dos Anéis, conta com uma grande quantidade de elementos em cenário e pode representar um bom desafio em alguns momentos para os processadores gráficos.

Conforme podemos ver nos resultados, a Radeon R9 380X já era capaz de rodá-lo com boa performance. Contudo, a combinação de CrossFireX é ainda mais interessante nesse caso, pois prova que há poder de sobra até para aumentar a resolução. O ganho de mais de 40 frames é significativo.

Star Wars Battlefront

Aproveitando a chegada do novo jogo da franquia Star Wars, nós resolvemos fazer alguns testes com placas que já estavam em nosso laboratório para compará-las com a R9 380X e também com a combinação em CrossFireX.

O ganho de performance foi de quase 50%, o que é muito bom, mas talvez a combinação de placas AMD não seja a melhor solução aqui. O empate técnico com a GeForce GTX 970 mostra que uma placa de preço similar ao CrossFireX pode ser suficiente para obter alto desempenho neste jogo.

Benchmarks

Os testes práticos (com jogos) mostraram que a configuração CrossFireX pode ser muito proveitosa em algumas engines, mas nem sempre é bem utilizada. Pensando nisso, nós resolvemos rodar benchmarks sintéticos para averiguar o poder real das placas.

3DMark Fire Extreme

Unigine Valley

Unigine Heaven

Temperatura e consumo

As temperaturas com o CrossFireX não subiram muito. Uma Radeon R9 380X atinge aproximadamente 70 graus na hora dos jogos. Quando as duas placas rodam juntas, a temperatura sobe para quase 80 graus (em cada placa). Pode parecer um valor um pouco alto, mas não tivemos qualquer problema de queda de performance.

O consumo da Radeon R9 380X fica entre 56 e 87 watts durante os jogos (o que varia muito de acordo com a GPU Load). Quando a gente ligou as duas placas, o consumo variou de 118 watts até 174 watts (cada placa consome energia de forma diferente, já que recebe diferentes cargas de processamento). Os valores são muito bons se a gente pensar no desempenho alcançado.

É importante ressaltar que tais valores de potência são referentes somente ao chip gráfico, ou seja, não se trata do consumo total da placa, pois não temos aqui as informações de consumo da memória e de outros componentes.

Vale a pena?

O CrossFireX de R9 380X é uma solução adequada para quem busca alto desempenho sem gastar muito. Duas placas desse naipe custam aproximadamente R$ 2,4 mil, o que dá bem menos que algumas placas top de linha. Ainda dá para pensar que você pode comprar uma placa em um momento futuro, quando o preço estiver mais acessível, ou seja, fazendo um upgrade.

Contudo, é válido avaliar quais jogos você pretende rodar, pois o ganho nem sempre está acima da GTX 980 e, em alguns casos, notamos até empate com a GTX 970. Considerando que a R9 390 tem desempenho similar ao da GTX 970, podemos presumir que esse CrossFireX também daria um empate com o modelo similar da AMD.

Apesar de algumas limitações, que claramente são provenientes dos próprios softwares, o CrossFireX é uma ótima solução. Além disso, você pode pensar em combinar placas ainda mais potentes, como a R9 390, a R9 390X ou até mesmo duas Fury (aí os resultados devem ser ainda mais impressionantes). Parabéns para a AMD, que está fazendo um ótimo trabalho!

Você acha que vale mais a pena usar um sistema CrossFire ou uma placa top de linha? Comente no Fórum do TecMundo