A Sony aproveitou a CES 2016 para anunciar a nova geração do Walkman, o player de músicas da empresa que se reinventou e sobreviveu ao tempo. Ele é uma evolução natural dos últimos modelos: o design é reaproveitado do Walkman A17 (de 2014, que repaginou o aparelho) e a pegada volta a ser mais comercial. Porém, os amantes de sons em alta definição não ficam de fora — só não precisa ser tão endinheirado assim, lembrando que o modelo de 2015 do Walkman custava nada menos que US$ 1,2 mil.

Para não ser um concorrente direto do iPod, por exemplo, a ideia é ser o aparelho definitivo para reproduzir músicas em alta definição e sem perda na qualidade. Como não há suporte para apps, ele aposta que você terá fontes para obter arquivos nos formatos FLAC, AIFF, WAV, MP3 e ACC.

São 32 GB de espaço interno, com a opção de suporte para cartões micro SD de até 128 GB. A bateria dura até 30 horas de reprodução em alta resolução e 50 horas tocando arquivos comuns em MP3. Para uma experiência mais conectada, a Sony adicionou suporte Bluetooth e NFC para pareamento com outros dispositivos, como sistemas de som stereo caseiros.

O novo modelo volta a utilizar botões físicos para navegação e será vendido em seis novas cores (além das tradicionais): cinza, azul, vermelho, roxo, branco e verde-limão. Por enquanto, não há previsão de preço para o Walkman A26.

Você compraria um Walkman da Sony atualmente? Comente no Fórum do TecMundo