O serviço de conteúdo pago YouTube Red, anunciado ontem (21) pela Google, pode ser uma pequena complicação para quem é parceiro e criador de conteúdo do site e lucra com publicidade no serviço.

De acordo com o site TechCrunch, o YouTube deu uma de mafioso e ameaçou os youtubers: ou eles assinam a mensalidade de US$ 9,99 (cerca de R$ 40) ou os vídeos de seus canais serão escondidos da visibilidade pública tanto na versão Red quanto na gratuita. Isso vai afetar comediantes, músicos, responsáveis por tutoriais, gameplayers e mais.

Segundo a Google, a imposição da assinatura é para que os próprios cadastrados saibam que seus youtubers favoritos ainda estarão disponíveis no site. O chefe de negócios da empresa afirmou no evento de lançamento que 99% dos criadores de conteúdo continuarão por lá — mas o tal detalhe da obrigatoriedade foi omitido, claro. 

"Vou fazer uma oferta que ele não poderá recusar"

Vale lembrar que só os parceiros mais populares de conteúdo (com ganhos de até 55% da publicidade dos vídeos) estão envolvidos nessa "negociação". Os demais não precisam se preocupar com isso. Foi revelado também que o dinheiro será dividido de acordo com o tempo assistido — ou seja, clipes mais longos ou com grande retenção serão privilegiados.

É claro que transformar os criadores de conteúdo em assinantes é bom para o YouTube, que cresce inclusive financeiramente — o que pode ser positivo também para os youtubers. Porém, forçá-los a fazer o acordo pode ser bem negativo para a empresa.

Cupons de desconto TecMundo: