Por muito tempo, o YouTube utilizou o Flash como padrão em seu player de vídeo. Porém, na última terça-feira (27), uma mensagem publicada no blog oficial do site pelo gerente de engenharia Richard Leider anunciou que, a partir de agora, os vídeos adotarão o HTML5. Por ora, a novidade funcionará no Chrome, no Internet Explorer 11, na versão 8 do Safari e em edições Beta do Firefox.

Tal mudança vem quatro anos após a rede dar início à adoção da tag “video” do HTML5. Isso já servia como uma alternativa ao Flash, mas pecava por não oferecer suporte ao Adaptive Bitrate, que permite ao YouTube “mostrar mais vídeos com menos buffering” (isso é, ajustando a resolução e o bitrate do clipe de acordo com a velocidade da conexão). Com o uso desse recurso, foi possível “reduzir em 50% o buffering mundial e em quase 80% em redes altamente congestionadas”. 

A adoção do HTML5 também vai permitir o uso do codec VP9 (que faz com que vídeos de maior resolução exijam menos banda para rodar), além de trazer vantagens que se estendem à parte de segurança por ser compatível com extensões de mídia criptografadas (Encrypted Media Extensions) – e, com isso, permitir que o site use um único reprodutor em diferentes plataformas. 

“Esses avanços têm beneficiado não apenas a comunidade do YouTube, mas toda a indústria. Outros provedores de conteúdo como o Netflix e o Vimeo, bem como empresas como Microsoft e Apple, adotaram o HTML5 e têm contribuído bastante para o seu sucesso. Ao fornecer uma plataforma aberta padrão, o HTML 5 também habilitou novas classes de dispositivos como Chromebooks e Chromecast. Você pode oferecer suporte ao HTML ao usar o iframe API em todos os lugares em que você publica vídeos do YouTube na internet”, escreveu Leider.

Cupons de desconto TecMundo: