(Fonte da imagem: Divulgação/YouTube)

Pouca gente sabia até agora, mas o YouTube mantém cerca de 200 pessoas ou organizações com uma missão especial no site: passar o dia caçando conteúdos fora das normas do site, eliminando vídeos e distribuindo "flags", que são os alertas sobre postagens inapropriadas.

A denúncia é do The Wall Street Journal, que descobriu que até uma unidade policial do Reino Unido é dona dessa permissão especial. A autorização permite que uma conta lance avisos em até 20 vídeos de uma vez (os flags feitos por usuários comuns são individuais).

No caso da U.K. Metropolitan Police`s Counter Terrorism Internet Referral Unit, o poder é usado para "buscar revisão e remoção de vídeos considerados extremistas". O programa de "superflags" começou em 2012 e reúne usuários que já passavam boa parte do tempo lançando avisos no YouTube, além de poucas instituições ou agências governamentais. Segundo a fonte do jornal, cerca de 90% dos clipes denunciados por essas pessoas são removidos ou têm as restrições de idade alteradas.

Em defesa do esquema, o Google avisou que nenhum vídeo é removido por conta dessas pessoas, já que a empresa analisa cada caso, e que nenhuma autoridade pressionou a companhia para ingressar no programa.

Cupons de desconto TecMundo: