Produzir vídeos e ganhar dinheiro com o YouTube têm sido o objetivo de muitos cinegrafistas amadores ao redor do mundo. Mas uma família do Reino Unido já conseguiu o feito, mesmo sem nunca ter sonhado com o sucesso. Com mais de 429 milhões de visualizações, o vídeo não comercial “Charlie bit my finger” já é o mais visto do site, e também um dos mais rentáveis.

A sequência de 56 segundo está no ar desde 2007 e mostra Charlie, na época com um ano de idade, inocentemente mordendo o dedo do irmão Harry. O sotaque legitimamente britânico do menino de cinco anos reclamando da dor completa a cena cômica.

Em entrevista ao The New York Times, o consultor de tecnologia da informação Davies-Carr, pai dos meninos, revelou que a Google já pagou para a família mais de 100 mil libras (cerca de R$ 280.000), dinheiro arrecadado com a publicidade gerada pelas milhões de visitas à página do vídeo desde 2007.

Harry e Charlie nos dias atuais (Fonte da imagem: Reprodução/The New York Times)

Diante de tanto sucesso, o casal também criou muitas outras sequências que mostram Charlie, Harry e os outros dois filhos em mais situações cômicas. A receptividade e audiência da comunidade do  YouTube têm sido boas, mas críticos no Reino Unido desaprovam a iniciativa, dizendo que o “show familiar” poderia prejudicar a infância das crianças.

Os pais dos astros mirins discordam, alegando que a preocupação com a exposição das crianças é constante. Davis-Carr afirma que todas as filmagens são espontâneas e que não obriga os seus filhos a atuar de forma alguma. “Não ficaríamos chateados caso as pessoas parassem de ver nossos vídeos.”, justifica.

Cupons de desconto TecMundo: