De acordo com informações divulgadas pelo The Verge, o YouTube Red — serviço de assinatura para vídeos sem propaganda e música ilimitada da Google — ainda não engrenou, mesmo já tendo completo um ano de existência. Até recentemente, a plataforma tinha apenas 1,5 milhão de assinantes que pagavam pelo serviço, mais 1 milhão de usuários bonificados (que ganharam assinaturas na compra de outros produtos da Google ou estão no período de testes).

Tocar o som dos vídeos mesmo com a tela do smartphone desligada

Nos EUA, o Red custa US$ 9,99 por mês (R$ 32,38) e remove todas as propagandas do YouTube tradicional para o usuário. Com isso, é possível também tocar o som dos vídeos mesmo com a tela do smartphone desligada, fazer listas de reprodução mais elaboradas e ter acesso ao Google Play Música de forma ilimitada.

Ou seja, além de eliminar os anúncios do YouTube e conseguir ouvir os vídeos em playback, o assinante tem acesso a mais de 35 milhões de músicas por streaming, bem ao estilo Spotify. Mesmo com o preço e as vantagens claramente interessantes, a Google não parece estar atraindo muita gente para o Red.

Mais originais

Há ainda conteúdo original e exclusivo em vídeo para esses assinantes, mas nenhum deles foi considerando um grande sucesso até agora, como os vários da Netflix. Em 2017, a empresa prometeu ampliar a oferta de séries e filmes exclusivos no YouTube Red.

Um dos possíveis motivos para o baixo número de assinantes apontados pelo The Verge seria o fato de o serviço ainda estar limitado a poucos mercados. Somente usuários da Austrália, Nova Zelândia, México e EUA podem assinar. Outros mercados gigantescos para o YouTube tradicional, como Brasil, Alemanha, França e Reino Unido ainda estão de fora e, aparentemente, sem prazo para entrar na lista de países “contemplados”.

Cupons de desconto TecMundo: