O Xperia C5 Ultra é a nova aposta da Sony no segmento de phablets, aparelhos que têm telas maiores que as de smartphones, mas não são grandes o bastante para serem considerados tablets. Entre os quesitos que chamam atenção no dispositivo está a generosa tela de 6 polegadas, que toma 75% da área frontal do produto.

A empresa também aposta em uma câmera frontal com sensor de 13 megapixels para diferenciar o aparelho das opções oferecidas pela concorrência. Dispondo de um flash dedicado, o produto traz consigo a promessa de permitir registrar com bastante qualidade qualquer selfie.

Com um hardware potente, que garante um desempenho bom em qualquer situação, o novo dispositivo da linha Xperia não decepcionou em nossos testes. No entanto, alguns pequenos problemas, somados a um posicionamento de mercado um tanto questionável, impedem que a novidade brilhe da maneira esperada por sua fabricante.

Design

O aspecto que mais chama imediatamente a atenção no Xperia C5 Ultra é sua tela generosa que, com suas 6 polegadas, toma a maior parte da parte frontal do dispositivo. A Sony aposta em um display com bordas laterais praticamente invisíveis que, se por um lado facilita a visualização de conteúdos, traz como contraponto um dispositivo com uma altura bastante grande.

Essas decisões de design resultam em um aparelho que parece avantajado mesmo quando comparado a “gigantes” como o Nexus 6 e o Galaxy Note 5. Isso faz com que grande parte do produto “vaze” de bolsos de calça, se adaptando muito melhor a bolsas ou ao bolso interno de paletós e jaquetas, por exemplo.

Apesar de o tamanho trazer alguns problemas, o Xperia C5 Ultra se encaixa muito bem na mão do usuário. Os botões laterais são bem posicionados, e o acabamento de plástico — apesar de não ser o mais sofisticado do mercado — transmite uma boa sensação de resistência e passa a impressão de que estamos lidando com um gadget de boa qualidade.

Tela

A tela é o aspecto que mais se destaca no phablet. Suas 6 polegadas garantem uma ótima experiência na hora de ler livros, navegar por redes sociais ou conferir mensagens de email. Apesar de não ser muito prático de ser navegado usando somente uma mão, o display ganha pontos por facilitar a realização de atividades tanto no âmbito profissional quanto em momentos de lazer.

A resolução Full HD (1920x1080 pixels) não é a maior dentre os aparelhos da categoria disponíveis no mercado, mas isso não pode ser considerado algo negativo. A não ser que você force os olhos e se aproxime muito da tela, dificilmente vai perceber algum elemento sendo exibido de forma pixelizada ou borrada.

O tamanho avantajado do display traz como principal vantagem a possibilidade de reproduzir de maneira confortável alguns conteúdos que foram desenvolvidos para se aproveitar das dimensões de um tablet. Exemplo disso é o game Monument Valley, que pode ser jogado muito bem no novo gadget da Sony.

Para facilitar a navegação, a fabricante traz uma solução de software que “encolhe” a área útil da tela mediante um arrastar de dedos a partir de uma das bordas inferiores do produto. A solução não é exatamente elegante, mas funciona bem para os momentos em que você não quer ou não pode usar as duas mãos para lidar com o phablet.

Interface

O Xperia C5 Ultra apresenta a versão 5.0 (Lollipop) do Android ligeiramente modificada pela Sony. As principais mudanças propostas pela fabricante surgem na forma de alguns programas proprietários que vêm pré-instalados, como o Xperia Lounge e o Track ID, entre outros “bloatwares” de jogos e aplicativos terceirizados.

Felizmente, é possível se livrar facilmente da maioria das opções indesejadas, visto que a maior parte delas pode ser desinstalada sem problemas. Isso é especialmente útil quando levamos em consideração que somente o sistema operacional sozinho ocupa quase 6 GB dos 16 GB oferecidos pela fabricante.

No geral, as soluções adotadas pela Sony aproveitam muito bem a tela do aparelho e não perdem qualidade mesmo quando o modo para usar o gadget com uma mão é ativado. Outra vantagem do phablet em relação a modelos anteriores e a alguns competidores é o fato de que a empresa japonesa assegura que ele deve receber em breve uma atualização para o Android 6.0 Marshmallow.

Desempenho

O Xperia C5 Ultra não possui o hardware mais poderoso do mercado, mas isso não é algo necessariamente ruim. Em nossos testes, o lançamento se mostrou capaz de lidar rapidamente com qualquer tarefa proposta e não houve qualquer game que ele não fosse capaz de rodar — mesmo títulos pesados como Mortal Kombat X.

No entanto, a presença de somente 2 GB de memória RAM traz alguns contrapontos, especialmente nos tempos de carregamento. Esse problema se torna especialmente evidente em alguns jogos eletrônicos, sendo que em alguns casos a espera pelo carregamento de uma fase chega a irritar pela demora.

Benchmarks

Para a realização desta análise, submetemos o Xperia C5 Ultra a três aplicativos de benchmark: AnTuTu Benchmark, Vellamo (HTML5 e Metal) e 3D Mark (Ice Storm Unlimited). Para efeito de comparação, também realizamos testes semelhantes com outros dispositivos cujas características se assemelham ao produto da Sony.

3D Mark (Ice Storm Unlimited)

O teste Ice Storm Unlimited do 3D Mark é usado para realizar comparações diretas entre processadores e GPUs. Entre os fatores que influenciam no resultado final está a resolução do display utilizado. Quanto maior a pontuação, melhor é o desempenho.

AnTuTu Benchmark 5

Este aplicativo faz testes de interface, CPU, GPU e memória RAM. Os resultados são somados e resultam em uma pontuação final única. Quanto maior o número mostrado, melhor é o desempenho geral do dispositivo.

Vellamo Mobile Benchmark

O Vellamo Mobile Benchmark utiliza dois testes: HTML5 e Metal. O primeiro avalia o desempenho do smartphone no acesso direto à internet via browser, enquanto o segundo indica a performance geral do processador. Quanto maior a pontuação, melhor é o desempenho.

Câmeras fotográficas

O Xperia C5 Ultra é um caso raro na indústria, visto que o aparelho aposta em duas câmeras com configurações praticamente idênticas. Tanto o sensor traseiro quanto o frontal possuem capacidade máxima de 13 megapixels, flashes em LED dedicados e a capacidade de registrar filmes em 1080p a 30 quadros por segundo.

O gadget registra bem imagens em ambientes iluminados, embora deixe a dever um pouco em seu contraste. Em geral, o problema se torna evidente quando o intuito é capturar os detalhes de objetos com muitas estruturas semelhantes entre si — como as diferentes folhas que formam uma planta, por exemplo.

A lente frontal é ótima para capturar selfies, embora o flash dedicado tenha que ser usado com cuidado em situações nas quais o aparelho fica muito próximo ao rosto. Nesse contexto, o lançamento da Sony oferece uma série de filtros e efeitos especiais que prometem enriquecer e trazer mais elementos divertidos aos momentos capturados.

Em resumo, o Xperia C5 Dual é um aparelho competente para quem gosta de registrar fotografias dentro de um computador pessoal ou compartilhá-las através de redes sociais. No entanto, tanto o hardware quanto o software utilizados pela Sony possuem limitações que impedem que o phablet rivalize em qualidade com equipamentos profissionais.

Bateria

Entre os aspectos que se destacam positivamente no Xperia C5 Ultra, a duração da bateria é o que mais chama atenção. Usado de forma moderada — com alguns minutos diários dedicados a jogatinas e vídeos —, o dispositivo pode passar muito bem dois dias longe de uma fonte de recarga.

Nossos testes de stress resultaram na reprodução ininterrupta de vídeos por pouco mais de 10 horas, uma ótima marca para um gadget da categoria. Esse tempo pode ser estendido ainda mais caso você decida usar o modo Stamina, recurso de software da Sony que desliga funções consideradas dispensáveis para poupar carga.

Áudio

A saída de som do Xperia C5 Ultra é mono, característica que em si já depõe contra a qualidade sonora no aparelho. Porém, o produto surpreende por algumas soluções de software que compensam essa questão de hardware e resultam em um som que, se não chama a atenção pela qualidade, não decepciona.

Graças à solução ClearAudio+, o aparelho da Sony consegue reproduzir com certa competência músicas e filmes, se destacando positivamente na reprodução de tons graves. Mesmo assim, ainda é necessário apelar para o uso de um bom fone de ouvido caso você queira ter uma experiência de boa qualidade ao reproduzir conteúdos multimídia no phablet.

Vale a pena?

Combinando bem quesitos como conforto, desempenho e capacidade de captura de imagens, o Xperia C5 Ultra pode ser considerado um ótimo phablet. No entanto, o aparelho é muito prejudicado pela tendência da Sony de, ao apostar na conquista de um público mais “selecionado”, adotar preços que se mostram pouco competitivos.

Pelos R$ 2,2 mil cobrados pelo produto, é possível investir em opções que, embora sejam mais antigas, têm hardwares mais completos — como o Galaxy Note 4. Apesar de o novo produto da fabricante japonesa já ser encontrado em algumas lojas por R$ 1,7 mil, esse valor ainda pode ser considerado alto quando comparado ao de outros modelos com características semelhantes.

Dessa forma, o Xperia C5 Ultra é um aparelho que deve ser muito beneficiado com uma redução futura em seu preço. No momento atual, o produto está longe de ser ruim, mas pesa demais no bolso do consumidor para se mostrar um investimento inteligente frente às ofertas da concorrência.

Cupons de desconto TecMundo: