Pouco tempo atrás, o nome da Xiaomi não causaria grandes impressões para os fãs de tecnologia. Mas a verdade é que a companhia chinesa cresceu muito e conseguiu conquistar espaços bem importantes no mercado internacional, deixando de ser uma potência apenas na China e nos países vizinhos. Hoje, a fabricante já é a quarta maior vendedora de smartphones do mundo e ninguém quer perder parcerias com ela.

Mas parece que a Qualcomm tem motivos de sobra para se preocupar com esse assunto. Depois de ser deixada de lado dos flagships da Samsung — que agora são equipados com chips Exynos fabricados pela própria empresa —, a fabricante de processadores pode ser abandonada também pela Xiaomi — que estaria trabalhando em "seus próprios cores". E certamente isso causaria grandes perdas na receita dela.

O motivo para essa preocupação não é uma novidade. Alguns aparelhos da Xiaomi são produzidos com chips da Leadcore, uma fabricante de chips também chinesa e que poderia estar negociando a produção de processadores personalizados para a Xiaomi. Ou seja: é possível que em um futuro próximo nós vejamos aparelhos Mi com chips Mi — sendo cogitado que apenas dispositivos de baixo custo atenderiam a isso no primeiro momento.

Caso tudo isso seja confirmado, é possível que até 2016 — sem grandes especulações mais definidas sobre datas até o momento —, nós vejamos algum anúncio da Xiaomi em relação ao lançamento de smartphones com processadores próprios. O que falta saber também é se estes chips serão totalmente produzidos pela Xiaomi ou se será fruto da já mencionada parceria.

O que está achando da chegada da Xiaomi no Brasil? Comente no Fórum do TecMundo

Cupons de desconto TecMundo: