Em entrevista para a Reuters, Hugo Barra, VP da Xiaomi, comentou sobre o modelo de negócio da companhia chinesa que rapidamente se tornou uma das maiores do mundo no mercado de smartphones. Barra, diferente do esperado, comentou que alguns pontos interessantes sobre como a Xiaomi lida com as vendas de celulares.

No caso, Hugo Barra estava comentando sobre a queda nas vendas na China e informando que isso não impactaria no crescimento do lucro a longo prazo da Xiaomi. "Poderíamos vender 10 bilhões de smartphones que não impactaria no lucro da Xiaomi", notou.

O foco da Xiaomi está crescendo bastante em outras categorias

Barra adicionou que a fabricante praticamente entrega os próprios smartphones "sem fazer qualquer dinheiro". De acordo com ele, os fluxos de receitas recorrentes ao longo dos anos são mais importantes do que as margens de venda de hardware. E de onde vem o dinheiro? Lucro sobre software e serviços.

Além disso, o foco da Xiaomi está crescendo bastante em outras categorias. Entre elas, dispositivos domésticos. Ao que parece, como notou o TechCrunch, a estratégia da Xiaomi está mais próxima da Amazon do que outras fabricantes de smartphone, em que foco está em serviços.

Sobre números, apesar da fabricante chinesa ter crescido violentamente nos últimos anos, as vendas de celular pelo mundo caíram 12% quando comparado ao ano passado. Globalmente, o terceiro trimestre deve registrar uma queda de 45% na China.

Cupons de desconto TecMundo: