Imagem de: Rapaz! Xiaomi quer que display do Mi Mix II ocupe 93% do corpo do celular

Rapaz! Xiaomi quer que display do Mi Mix II ocupe 93% do corpo do celular

2 min de leitura
Avatar do autor

No ano passado, a Xiaomi lançou o Mi Mix para mostrar que não basta aumentar a tela dos celulares para que eles conquistem o público: é preciso que as bordas sejam reduzidas na mesma proporção para que seu visual se mantenha interessante e com um tamanho aceitável. Com o gadget de 2016, esse conceito ficou bem evidente, graças principalmente ao display de 6,4 polegadas, que ocupa cerca de 91,3% da parte frontal do smartphone. Como a nova versão do dispositivo espera superar seu antecessor? Com medidas ainda mais agressivas, claro!

Por mais absurdo que isso possa parecer, a empresa chinesa decidiu que a proporção entre tela e corpo do seu brinquedinho poderia ser levada a um patamar superior e que o Xiaomi Mi Mix II seria consideravelmente mais ousado em seu perfil. Para levar essa proposta adiante, a marca chamou novamente o designer Philippe Starck – responsável pelo projeto do primeiro equipamento da linha – para o batente, e, ao que tudo indica, o profissional aceitou de bom grado essa missão quase impossível.

Bordas ainda menores? Manda ver, Xiaomi!

A nova relação entre display e carcaça pode saltar para fantásticos 93%

Segundo uma postagem feita no Weibo – a principal rede social da China –, Starck e os engenheiros da fabricante chinesa já se encontraram para discutir a empreitada e decidiram que a nova relação entre display e carcaça pode saltar para fantásticos 93%. Em um primeiro momento, pode parecer que esse é um upgrade muito pequeno, mas basta pensar que cada décimo de milímetro eliminado do kit significa espremer ainda mais os componentes no interior do aparelho e reorganizar todas as peças para garantir o funcionamento correto do produto.

Fora esse objetivo ambicioso para o painel, pouco se sabe a respeito das melhorias imaginadas para o Xiaomi Mi Mix II. Embora haja uma expectativa de que itens como as câmeras frontal e traseira recebam um belo upgrade – com um sensor mais apurado, estabilização ótica de imagem e maior qualidade nos cliques –, uma das únicas certezas no momento é que o smartphone vai manter o corpo em cerâmica do gagdet original. Infelizmente, o material frágil e a tela expandida são uma receita certa para acidentes fatais em caso de queda do dispositivo.

A dica é evitar essas quedas rotineiras ou usar um case de proteção

No Brasil? Esqueça!

Por enquanto, não há detalhes a respeito de preço ou disponibilidade do celular, mas já dá para adiantar que, dadas as últimas mudanças recentes na liderança global da Xiaomi, dificilmente o equipamento deve chegar oficialmente por estas bandas. O melhor a fazer se você se interessou pelo produto? Guardar uma grana e ficar de olho nos amigos que forem dar um passeio por terras chinesas.

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Veja também
Rapaz! Xiaomi quer que display do Mi Mix II ocupe 93% do corpo do celular