Nos últimos anos, vimos muitos conceitos de smartphones sem bordas. Para aumentar a área de atividades dos aparelhos, muitos desses conceitos eliminavam molduras e faziam com que quase todo o dispositivo fosse tela. Só que até agora, isso não passava de conceitos.

Porém, nesta semana a Xiaomi apresentou o seu Mi Mix e deixou bem claro: é possível criar um aparelho sem bordas para o mercado. Pois é... A tecnologia deixou de ser apenas conceitual e agora é real. Todo o design do smartphone foi criado em parceria com Philippe Starck — um dos grandes nomes do design de produtos da atualidade.

Como o leitor Wal Santos bem nos lembrou, a Sharp já havia mostrado um conceito bem parecido neste ano — lembrando que há grandes chances da Sharp ser a fornecedora de telas para o iPhone 8. Será que rolou uma inspiração no produto?

Design quase conceitual

Com a dupla Starck e Xiaomi, o Mi Mix surge com tela de 6,4 polegadas e corpo totalmente produzido com base cerâmica. E como você já deve estar imaginando: quase sem bordas. São três lados sem molduras e uma pequena estrutura na parte inferior, permitindo que 91,3% da parte frontal do dispositivo seja composta por display touch.

Como lembra o TheNextWeb, isso coloca ele bem à frente dos seus rivais no mercado internacional — pois o iPhone 7 Plus apresenta 67,7% de proporção tela/estrutura, enquanto o Pixel XL da Google chega aos 71,2%.

Na parte traseira, ainda há um anel de ouro 18 quilates que foram adicionados ao redor da câmera e do sensor de impressões digitais — disponível apenas na versão com 6 GB de RAM. E não é só no design que ele se destaca, pois o hardware do produto também é excelente.

Como já dissemos, o design é uma parceria com Philippe Starck — designer de produtos conhecido também por seus trabalhos nas áreas de móveis, hotéis e restaurantes. E a Xiaomi não deixou isso passar batido, é claro. Como você pode ver no vídeo de apresentação do produto (logo abaixo), há um grande "apelo Jony Ive" para a promoção do produto.

Hardware de ponta

Engana-se quem pensa que o Xiaomi Mi Mix surgiria apenas como um aparelho bonito. Ele foi criado com recursos de hardware de muita qualidade e isso já fica claro na escolha do processador: Qualcomm Snapdragon 821 com clock de 2,35 GHz. Para a memória, existem duas opções disponíveis para os consumidores: 4 GB de RAM + 128 GB de armazenamento ou; 6 GB de RAM + 256 GB de armazenamento.

É claro que com tela de 6,4 polegadas e tanta potência de hardware, o Mi Mix também precisa de uma bateria de qualidade. Por isso, a fabricante investiu em módulos com 4.400 mAh e suporte ao novo padrão Quick Charge 3.0 da Qualcomm — que garante recargas mais rápidas do que as oferecidas por carregadores comuns.

A fabricante investiu em módulos com 4.400 mAh e suporte ao novo padrão Quick Charge 3.0 da Qualcomm

Vale dizer ainda que o aparelho surge como uma opção Premium e a Xiaomi não poupa esforços para deixar isso bem claro. Uma das maiores provas está no chip de áudio Hi-Fi com 192 Hz / 24 bits DAC — similar ao usado no LG V10, muito elogiado pelos fãs de áudio de alta fidelidade.

Especificações técnicas

  • Sistema operacional: Android 6.0 Marshmallow
  • Tela: IPS LCD de 6,4 polegadas
  • Resolução: 2040x1080 pixels
  • Processador: Qualcomm Snapdragon 821 quad-core
  • Clock de processamento: 2,35 GHz
  • GPU: Adreno 530
  • Memória RAM: 4 GB ou 6 GB
  • Memória de armazenamento: 128 GB (4 GB) ou 256 GB (6 GB)
  • Câmera traseira: 16 MP com PDAF
  • Câmera frontal: 5 MP
  • Bateria: 4.400 mAh
  • Dimensões: 158,8 mm x 81,9 mm
  • Espessura: 7,9 mm
  • Peso: 209 g

E as câmeras?

Na parte traseira do smartphone, a Xiaomi trouxe uma câmera com sensor para a captura de fotos com até 16 megapixels, sendo que o grande destaque está no processador que permite o foco automático com detecção de fases (PDAF) quase instantaneamente. Até aí, tudo bem! Mas se estamos falando de um aparelho quase bordas, cadê a câmera frontal?

A resposta está justamente na única moldura disponível para isso: a inferior. Por isso, o Mi Mix trouxe a sua câmera frontal na parte debaixo da estrutura, não sendo a lente alocada acima da tela como já estamos acostumados. Felizmente, os consumidores podem girar completamente o dispositivo para tirar suas selfies com mais qualidade.

Preço e disponibilidade

Por enquanto, não há qualquer informação sobre quando o aparelho ficará disponível ou o preço que será cobrado pelo Mi Mix fora do mercado chinês. Por lá, as vendas vão ser iniciadas já no dia 4 de novembro e cada unidade do modelo 4 GB/128 GB será vendida por US$ 516 (R$ 1.611), enquanto o modelo 6 GB/256 GB custará US$ 590 (R$ 1.842).

Você compraria o aparelho se ele viesse ao Brasil?

Cupons de desconto TecMundo: