(Fonte da imagem: Reprodução/PoesiasRitaCruz)

Recentemente, conferimos um vídeo em que Larry Hyrb, o Major Nelson da LIVE, apresentou uma incursão ao controle do Xbox One ao lado de Zulfi Alam, chefão de acessórios da marca Xbox. Na ocasião, foram discutidas 40 diferentes melhorias que o controle trará em comparação com o joystick do Xbox 360.

Apesar de sutis, as mudanças, se somadas, refletem modificações significativas: analógicos refinados, função vibratória de acordo com o tato do jogador, gatilhos aprimorados... Mas a Microsoft não pensou só nisso. Acredite: a empresa de Bill Gates cogitou colocar no controle uma função que emitiria odores, cheiros, fragrâncias ou o que você preferir para classificar o recurso.

Quem revelou a informação foi o próprio Zulfi Alam. Ele disse que, na fase de protótipo do controle, a Microsoft pensou em colocar um emissor de odores no controle. A ideia era que os jogadores pudessem sentir o cheiro de folhas ao caminhar por uma floresta virtual ou o de borracha do pneu queimando em jogos de corrida, por exemplo. Segundo Alam, o recurso acabou não ficando muito bacana na prática porque os cheiros teriam ficado “excessivos”.

Outras implementações que seriam inclusas no controle e também ficaram de lado foram alto-falantes – algo que já existe no Wiimote – e uma tela embutida (que existe no controle do concorrente PS4). “Chegamos a colocar telas nos controles”, diz Alam. Segundo o designer, a bateria, ou melhor, as pilhas se esgotavam rapidamente para manter o display em alta resolução e eles acabaram desistindo da ideia.

Seria no mínimo inusitado ter uma experiência com um controle que emitisse cheiros. Jogar um eventual game dos Simpsons, contudo, seria complicado. Homer Simpson não pouparia arrotos e outros “gases”.

Via BJ

Cupons de desconto TecMundo: