A grande novidade do dia foi a revelação das especificações técnicas do Project Scorpio, o novo console da Microsoft que continua sem um nome oficial. Como você pode ver na notícia que demos mais cedo, trata-se de um verdadeiro monstro computacional que é capaz de rodar games nativamente em 4K. Contudo, o que dizer dos jogos antigos?

A Microsoft garantiu: toda a biblioteca do Xbox One e Xbox 360 (os games que já são retrocompatíveis) é compatível com o novo hardware. Contudo, não é apenas uma reprodução do que já vimos. Todos esses títulos anteriores terão vantagens significativas no Project Scorpio, ou seja, será um grande upgrade para todo o catálogo já existente. Por conta disso, o Eurogamer em parceria com o Digital Foundry listou cinco formas nas quais os games antigos serão melhores no Scorpio. Confira:

1 – Performance aprimorada e sem screen-tearing

O poder de processamento do Project Scorpio é monstruoso. E todas as 40 unidades computacionais de 1.172 MHz (um número bem maior que o Xbox One e que supera com folga o PS4 Pro) poderão ser utilizadas nos jogos já existentes. Na teoria, isso é performance extra, que melhora a performance de games antigos por tabela.

Project CARS é um game que se beneficia com a maior velocidade de processamento

Na prática, teremos jogos como Project Cars e outros títulos que almejam 60 fps rodando de maneira bem mais lisa, pois o poder de fogo dá e sobra para tudo isso. Portanto, aumentar significativamente a taxa de frames por segundo e acabar com o screen-tearing das obras atuais são algumas das vantagens. Só para deixar claro: títulos que rodam a 30 fps não ganharão aumento de fps, já que é o game em si que limita essa taxa de atualização.

2 – Sem resolução dinâmica

Muitos games, como Battlefield 1, Gears of War 4, Halo 5 e Doom, utilizam uma resolução dinâmica. Em outras palavras: se o título falhar em atingir a taxa de quadros por segundo proposta (30 ou 60 fps), o jogo baixa a resolução de imagem para ganhar performance extra e manter a experiência da forma o mais fluida possível.

Halo 5 é um dos jogos que roda com resolução dinâmica no Xbox One

Com a performance extra, a Microsoft garantiu que jogos com resolução dinâmica conseguirão manter a melhor qualidade de imagem possível. Ou seja, se um jogo suporta 1080p, então será 1080p. Caso o limite seja de 900p, será 900p, e assim por diante. Aumentar a resolução máxima vai depender de a desenvolvedora aproveitar o poder do novo console.

3 – Aprimoramento significativo de texture filtering

Para resumir: texture filtering é uma técnica para melhorar a definição da textura em distâncias maiores. Quanto menor for o filtro anisotrópico aplicado, menor a distância para uma textura ficar borrada, ou seja, objetos mais próximos da câmera ficam com maiores distorções.

Texture Filtering aprimorado por padrão é algo bem interessante

Contudo, o hardware do Project Scorpio consegue forçar o máximo (que é de 16x) do filtro anisotrópico em qualquer título, seja ele de Xbox One ou até mesmo Xbox 360. Sim, até mesmo games da sétima geração vão usufruir dessa novidade, aumentando a qualidade de imagem.

4 – GameDVR muitas vezes melhor

Se você já tem um Xbox One, sabe o que o GameDVR é. Caso não saiba, trata-se da ferramenta capaz de capturar imagens e vídeos dos jogos do console. No Project Scorpio, essa funcionalidade será aprimorada drasticamente. Além de conseguir capturar vídeos em 4K e 60 fps, o novo hardware vai conseguir tirar o máximo das capturas dos jogos antigos também.

GameDVR será aprimorado no Project Scorpio

O codec HEVC vai conseguir comprimir a qualidade de captura de uma forma excelente, algo que se reflete para conteúdo em 1080p também. Além disso, todos os vídeos poderão ser vistos frame a frame, ajudando a capturar a imagem perfeita de qualquer conteúdo gravado.

5 – Tempo de carregamento reduzido

O Project Scorpio trouxe muitas coisas melhores em relação ao Xbox One, como maior quantidade de memória RAM, velocidade maior de transmissão de dados e 31% a mais de poder de processamento. Essa combinação toda pode ajudar – e muito – no tempo de carregamento de vários jogos existentes.

ReCore é um dos games que sofre com carregamentos longos

Alguns games podem usar a quantidade de memória RAM extra para carregar alguns pressets e elementos em cache, reduzindo drasticamente o loading de vários jogos, como Battlefield 1, que demora quase 2 minutos para carregar uma missão da campanha, por exemplo.

Bom demais para ser verdade? Há contrapartidas?

Como você deve ter notado, a Microsoft prometeu mil maravilhas para todos os jogos já disponíveis da biblioteca e parece um aprimoramento excelente e natural para qualquer game. Contudo, há alguma coisa que pode dar errado aí? A resposta é: sim. A verdade é que os títulos de Xbox One, assim como qualquer programa de computador, são peças de softwares que podem sofrer com problemas de compatibilidade.

Aumentar o poder de processamento da CPU parece uma ótima ideia para aumentar a taxa de quadros de Battlefield 1, por exemplo, mas o clock maior pode criar, por algum motivo misterioso desse mundo doido da computação, uma incompatibilidade ou uma anomalia incorrigível no game. Em outras palavras: talvez alguns desses cinco pontos tenha que ser removido de certos jogos.

Contudo, a Microsoft parece empenhada em criar o melhor terreno possível para o Project Scorpio e está analisando (e vai analisar) jogo a jogo da biblioteca para garantir a compatibilidade total de todos os títulos. Por enquanto, a prioridade da empresa é que todas as obras já disponíveis rodem perfeitamente no Scorpio.

***

E aí, curtiu o conteúdo? Clique aqui para saber mais e garantir os melhores produtos do mundo Xbox na Microsoft Store 

Cupons de desconto TecMundo: